Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Ensino superior

Notícia da edição impressa de 09/01/2018. Alterada em 08/01 às 21h27min

Pátria e futuro são temas de redação na Ufrgs

Estudantes aproveitaram para conferir gabarito do primeiro dia de testes

Estudantes aproveitaram para conferir gabarito do primeiro dia de testes


FREDY VIEIRA/JC
Igor Natusch
A identidade nacional foi o grande tema discutido ontem, no segundo dia de vestibular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). A partir de um texto da jornalista e escritora Martha Medeiros, no qual ela diz que somos "habitantes de uma pátria órfã" e manifesta desesperança com os desdobramentos da crise atual, os estudantes eram convidados a expor sua visão sobre o momento político e social vivido no Brasil. Além da redação, os vestibulandos responderam questões de Língua Portuguesa.
A abstenção no primeiro dia de exame ficou em 16,64%, com 5.397 candidatos ausentes de um total de 32.438 inscritos. Os números são maiores do que os registrados no primeiro dia do vestibular de 2017, quando ocorreram 5.512 ausências, chegando a 16,47% das inscrições.
Na saída da prova de ontem, o sentimento era de relativa satisfação com a discussão proposta pela redação da Ufrgs. "Achei o tema legal. Não foi nada muito inesperado, levando em conta o que estamos passando hoje em dia", declarou a estudante Vitória Antunes Overbeck, 17 anos, que está prestando vestibular para Medicina. Concorrendo pelo mesmo curso, Jonas Reis, de 20 anos, estranhou um pouco mais o tema deste ano. "Achei a abordagem diferente do esperado, me surpreendeu um pouco. Mas não estava difícil", disse ele, que tenta vaga na universidade pela segunda vez. As questões de Língua Portuguesa também ficaram "dentro da média de dificuldade", segundo ele.
Ao saírem das salas, os estudantes levavam consigo o caderno de questões do primeiro dia, quando foram ministradas as provas de Literatura, Física e Língua Estrangeira. Alguns já aproveitavam para conferir o gabarito, colado à frente de alguns locais de prova. Outros preferiram fazer a conferência em casa, registrando as respostas com a ajuda dos aparelhos celulares. "Vou tirar uma foto agora e depois vejo com mais calma", disse Diovana Brião, 17 anos, tentando vaga em Odontologia.
Segundo os dados revelados pela Ufrgs, a média de acertos em Física ficou em 9,4418, com 62 candidatos gabaritando a prova. Para Literatura de Língua Portuguesa, a média foi de 12,3056, com oito candidatos acertando todas as 25 questões. Entre as línguas estrangeiras, foram aplicadas provas de Inglês (com média de 8,6021), Espanhol (12,1070), Italiano (12,9245), Francês (11,4561) e Alemão (13,487).
A Ufrgs também divulgou uma alteração no gabarito da prova de Literatura. A questão 44 teve sua resposta modificada da letra A para E. Os gabaritos completos podem ser consultados em http://vestibular.ufrgs.br/cv2018/gabaritos/. A partir das 17h, as respostas corretas de hoje também estarão disponíveis.
Para hoje, estão programados os testes de Biologia, Química e Geografia. Amanhã, serão aplicadas as questões de História e Matemática. As provas começam às 8h30min e ocorrem em Porto Alegre, Bento Gonçalves, Imbé e Tramandaí.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia