Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 31 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

futebol

31/01/2018 - 15h59min. Alterada em 31/01 às 16h00min

Neymar entra com demanda judicial contra o Barcelona, diz jornal

Jogador finalmente teria cumprido promessa e entrado com demanda judicial contra clube

Jogador finalmente teria cumprido promessa e entrado com demanda judicial contra clube


LIONEL BONAVENTURE/AFP/JC
O divórcio turbulento entre Neymar e Barcelona ganhou um novo capítulo. De acordo com o jornal espanhol El Mundo, o jogador finalmente cumpriu sua promessa e entrou com uma demanda judicial contra o clube catalão. Na ação, o brasileiro exige o pagamento da segunda parte das luvas pela renovação de seu contrato em 2016. Seriam 30 milhões de euros (cerca de R$ 119 milhões), entre 26 milhões de euros estipulados no documento e 10% de juros.
O Barcelona, por sua vez, já tem o contra-ataque planejado. Os catalães pedem que Neymar devolva a primeira parcela das luvas e cobra uma multa de 9 milhões de euros (R$ 35,6 milhões) por danos e prejuízos. Ao todo, o brasileiro teria que pagar 75 milhões de euros (R$ 297 milhões).
O "El Mundo" lembra que a batalha judicial começou em agosto do ano passado, quando o Barcelona se recusou a pagar a segunda parte da renovação, após Neymar se transferir para o Paris Saint-Germain em uma transferência recorde de 222 milhões de euros (aproximadamente R$ 878 milhões, em valores de hoje). Os catalães julgaram que não deveriam desembolsar o montante por acreditarem que, ao mudar de clube, Neymar descumprira unilateralmente o vínculo, que seria válido até 2021.
Desde então, as partes não comentam publicamente o caso. Mas o brasileiro conta com o apoio de seu novo clube, que se dispôs a dar apoio judicial e até financeiro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia