Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 31 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 01/02/2018. Alterada em 31/01 às 23h35min

Bolsa sobe 11,14%, e dólar cai 3,76% no mês de janeiro

.
/.
O Ibovespa encerrou a sessão de negócios desta quarta-feira, com ganhos de 0,51%, aos 84.912,69 pontos. Com isso, fechou janeiro valorizando 11,14% - o melhor resultado para esse mês dos últimos 12 anos. Em 2006, o índice à vista ostentou alta de 14,73% no acumulado do mesmo mês.
Ao fim do pregão, as blue chips desaceleraram os ganhos. Ainda assim, a valorização mensal é significativa. Petrobras ON e PN fecham janeiro acumulando alta de 25,96% e 22,36%, respectivamente. No setor financeiro, Itaú Unibanco PN ganhou 22,78%; Bradesco PN, 20,44%; Banco do Brasil ON, 24,70%; e as units do Santander, 16,57%.
O dólar teve uma sessão volátil - iniciou em baixa e bateu mínimas, com a briga pela formação da Ptax, mas inverteu o sinal à tarde e passou a subir, renovando máximas, com a cautela de investidores antes da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). Conforme esperado, a taxa dos Fed Funds foi mantida entre 1,25% e 1,50%. No mês, a moeda recuou 3,76%.
O dólar à vista fechou em alta de 0,32%, a R$ 3,1910. O giro foi de US$ 1,783 bilhão. No mercado futuro, a moeda para março terminou com ganho de 0,06%, a R$ 3,1955. O giro foi de US$ 27,876 bilhões.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia