Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 18/01/2018. Alterada em 18/01 às 00h16min

Arroz em casca se desvaloriza com mercado lento

O mercado de arroz em casca do Rio Grande do Sul tem apresentado lentidão, segundo indicam pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Apenas indústrias com necessidade de repor estoque estão presentes no mercado, dando preferência ao arroz depositado em seus armazéns. Demais beneficiadoras, incluindo as de outros estados, seguem trabalhando com estoque já adquirido. Esse cenário se deve ao fraco ritmo das negociações com os setores atacadistas e varejistas dos grandes centros consumidores.
Do lado vendedor, alguns orizicultores disponibilizaram seus lotes, alguns de arroz "livre" (armazenado nas propriedades rurais), para esvaziamento e limpeza dos silos, para receber a nova colheita da safra 2017/2018. Outros produtores seguem fora do mercado, atentos apenas ao manejo da lavoura.
O Indicador do arroz em casca Esalq/Senar-RS, 58% grãos inteiros, fechou ontem a R$ 36,78/saca de 50 kg, recuo de 1,68% na parcial de janeiro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia