Porto Alegre, segunda-feira, 16 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

16/01/2018 - 20h29min. Alterada em 16/01 às 20h29min

Dólar perde força ante rivais em meio a incertezas políticas em Washington

O dólar iniciou o dia em um movimento de recuperação ante divisas fortes, mas perdeu força ao longo do dia, à medida que os investidores colocaram na balança incertezas políticas em Washington
O dólar iniciou o dia em um movimento de recuperação ante divisas fortes, mas perdeu força ao longo do dia, à medida que os investidores colocaram na balança incertezas políticas em Washington
No fim da tarde, o dólar caía para 110,35 ienes e o euro tinha leve baixa para US$ 1,2271.
A fraqueza nas ações nos Estados Unidos nesta terça-feira (16), foi sentida a partir do meio da tarde e ocorreu ao mesmo tempo em que a temperatura política voltou a subir em Washington. De acordo com o jornal New York Times, o ex-estrategista-chefe da Casa Branca Steve Bannon foi convocado pelo conselheiro Robert Mueller a depor no grande júri que investiga a suposta interferência da Rússia na eleição presidencial americana de 2016.
As incertezas no Capitólio também estiveram no radar dos investidores. Na sexta-feira termina o prazo para que o limite da dívida seja elevado e para que o financiamento continue. Há, no entanto, poucos sinais de acordo entre o governo e os parlamentares da oposição. A proteção de jovens imigrantes da deportação foi colocada como exigência pelos democratas para a votação, ao mesmo tempo em que o presidente dos EUA, Donald Trump, e alguns republicanos não querem abrir mão da construção de um muro na fronteira com o México.
Já o contrato futuro de bitcoin para janeiro, negociado na CME, encerrou o dia em baixa de 19,97%, a US$ 11.160,00. O tombo veio após a Coreia do Sul confirmar que está elaborando um projeto para banir negócios anônimos com criptomoedas no país. O comentário partiu do ministro de Justiça sul-coreano, Park Sang-ki, e veio dias depois de o regulador financeiro começar a inspecionar algumas das maiores instituições financeiras do país que ajudam a facilitar transações com moedas digitais.