Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Trabalho

Alterada em 16/01 às 12h51min

Emprego na indústria cresce 0,3% em novembro, diz CNI

Apesar da melhora, massa salarial dos trabalhadores da indústria recuou 0,8% em relação a outubro

Apesar da melhora, massa salarial dos trabalhadores da indústria recuou 0,8% em relação a outubro


JONATHAN HECKLER/JC
O emprego na indústria finalmente começa a dar sinais de recuperação, de acordo com dados de novembro divulgados nesta terça-feira (16) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). As vagas de trabalho no setor aumentaram 0,3% em relação a outubro, já descontados os efeitos de calendário.
Esse foi o terceiro mês consecutivo sem queda no emprego industrial. Além disso, o aumento de 0,3% no mês é o maior desde fevereiro de 2014, quando a evolução do quadro de funcionários em relação ao mês imediatamente anterior foi de 0,7%.
Ainda assim, o nível de emprego da indústria brasileira em novembro foi 0,7% inferior ao registrado no mesmo mês de 2016. Considerando o período de janeiro a novembro de 2017, o emprego na indústria foi 2,9% menor que o acumulado no mesmo período do ano anterior.
Apesar da melhora no emprego em novembro, a massa salarial real dos trabalhadores da indústria recuou 0,8% em relação a outubro. "No segundo semestre de 2017, a massa salarial alterna variações mensais negativas e positivas, registrando, contudo, quedas mais fortes", destacou a CNI.
Na comparação com novembro de 2016, a massa de salários paga na indústria caiu 0,1%. Considerando o período de janeiro a novembro de 2017, houve um encolhimento de 2,0% na massa salarial em relação aos 11 primeiros meses do ano anterior.
Mais emprego e menor massa salarial significam que o rendimento médio dos trabalhadores do setor caiu em novembro, e o recuo foi 0,5% em relação a outubro. Ainda assim, a renda média dos funcionários das fábricas em novembro foi 0,9% maior que a do mesmo mês do ano anterior. No acumulado do ano, o rendimento médio cresceu 1,0% ante o mesmo período de 2016.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia