Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 14 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Supermercados

Notícia da edição impressa de 15/01/2018. Alterada em 14/01 às 22h14min

Walmart fecha supermercado Nacional do bairro Lindóia

Loja na Zona Norte é mais uma que será desativada pela multinacional

Loja na Zona Norte é mais uma que será desativada pela multinacional


/CLAITON DORNELLES /JC
Luiz Guimarães
O Walmart está encerrando as atividades de mais uma loja em Porto Alegre, desta vez, no bairro Jardim Lindóia, na Zona Norte. A informação passada aos funcionários é de que o fechamento ocorrerá no próximo dia 30, mas, no sábado, um cartaz avisava que o expediente iria apenas até as 20h e a que a loja não abriria no domingo.
Pelo reduzido volume de produtos ofertados nas gôndolas, é provável que já na segunda-feira ou na terça-feira as atividades estejam encerradas, porque as mercadorias não estão sendo repostas. No sábado à tarde, a maior parte das prateleiras estavam vazias e havia pequena oferta de hortigranjeiros, leite, bebidas, arroz e feijão, entre outros artigos essenciais.
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2018/01/14/206x137/1_nacional_shopping_lindoia_foto_luiz_guimaraes_jpg4-1717371.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5a5b9f6cce673', 'cd_midia':1717371, 'ds_midia_link': 'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2018/01/14/nacional_shopping_lindoia_foto_luiz_guimaraes_jpg4-1717371.jpg', 'ds_midia': 'No sábado, algumas prateleiras já estavam completamente vazias', 'ds_midia_credi': 'LUIZ GUIMARÃES/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'No sábado, algumas prateleiras já estavam completamente vazias', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '450', 'align': 'Left'}
Gôndolas e prateleiras vazias mostram que as mercadorias não estão sendo repostas. Foto Luiz Guimarães/Especial/JC
A loja do Jardim Lindóia foi aberta há mais de 20 anos, na avenida Panamericana, atrás do Shopping Lindóia, a poucos metros da avenida Assis Brasil. Os frequentadores estranharam o repentino anúncio de fechamento, porque, recentemente, o Walmart cercou o estacionamento, que passou a ser acessado apenas pela avenida Panamericana - antes havia dois acessos - para deixar o local mais seguro. Houve também melhorias no interior da loja.
Dentro do supermercado, funciona também uma loja da rede Farmácias Associadas. Os funcionários da farmácia também foram surpreendidos, porque só recentemente receberam a informação do fechamento. Como o acesso à loja é feito pelo interior do supermercado, o dono da farmácia também terá que encerrar as atividades.
Segundo os funcionários do Nacional Lindóia, trabalham naquele ponto perto de 100 empregados. Alguns, conforme informaram, serão remanejados para outros pontos; outros serão demitidos. Desde que anunciou sua estratégia de transformar as bandeiras Big e Nacional em Walmart, a multinacional norte-americana de supermercados já fechou inúmeros pontos em Porto Alegre e interior do Estado.
Em comunicado, a empresa afirma que, apesar do fechamento da unidade, abriu neste mês 130 postos de trabalho para parte das 97 unidades que seguem operando na Capital e no Interior, incluindo vagas nos centro de distribuição e nos escritórios da rede. A empresa também afirma que está investindo cerca de R$ 160 milhões no projeto de reestruturação de hipermercados e supermercados no Rio Grande do Sul. Em todo o Brasil, a Walmart deverá investir cerca de R$ 1,5 bilhão ao longo dos próximos três anos nesse projeto.
Para o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesa Longo, o fechamento da loja na zona Norte de Porto Alegre faz parte da readequação de custos da empresa. "Mas a rede segue forte no Estado. Uma coisa é ter duas lojas e fechar uma, outra questão é, dentro de um contexto de dezenas de lojas, como e o caso do Nacional, tu encerrar as atividades de algumas unidades. Com certeza o fim da operação dessa loja tem relação com custos", avalia Longo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia