Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Finanças

Notícia da edição impressa de 09/01/2018. Alterada em 08/01 às 22h46min

Maioria dos brasileiros paga as contas em dia

Hábito de poupar é restrito a uma pequena parcela da população

Hábito de poupar é restrito a uma pequena parcela da população


/STOCKPHOTO/DIVULGAÇÃO/JC
Um estudo divulgado ontem pelo Banco Central (BC) mostra que 64% dos brasileiros pagam suas contas em dia, mas 56% não faz um orçamento doméstico ou familiar. Feito em parceria com a Serasa Experian e com o Ibope, o levantamento, cuja coleta de dados ocorreu em 2015, mostra ainda que 69% dos brasileiros afirmaram não ter poupado nenhuma parcela da renda recebida nos 12 meses anteriores.
"A falta de hábito de poupança atinge todas as faixas etárias, principalmente as faixas de renda inferiores, resultando em baixa capacidade de arcar com despesas imprevistas", destacou o BC.
Entre os 31% que pouparam parte da renda nos 12 meses anteriores ao levantamento de dados, 53% dos entrevistados guardou menos de 10% dos recursos. Outros 30% pouparam entre 11% e 20% da renda, enquanto 12% guardaram de 21% a 30%.
Conforme o BC, apenas 5% pouparam mais de 31% do dinheiro recebido. "Esse resultado indica que, além de o percentual de poupadores ser baixo, a parte da renda reservada à poupança não é elevada", pontuou o BC.
A amostra da pesquisa foi composta por 2.002 pessoas distribuídas em todas as regiões do País, por meio de entrevistas presenciais, realizadas entre os dias 9 e 13 de abril de 2015.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia