Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

HABITAÇÃO

Notícia da edição impressa de 09/01/2018. Alterada em 08/01 às 21h23min

Governo quer retomar o Minha Casa neste ano

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, informou ontem que o governo deve retomar neste ano as obras do Programa Minha Casa Minha Vida que estavam paradas. A previsão é de entrega de 75 mil novas moradias no primeiro trimestre.
"Temos previsto para 2018 no orçamento do Ministério das Cidades quase R$ 70 bilhões entre FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e no orçamento da União de recursos para serem investidos no Minha Casa Minha Vida", disse o ministro, após reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e com o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, para tratar da entrega das unidades do Residencial Viver Melhor Itaboraí.
O empreendimento com mais de 3 mil unidades em Itaboraí, na Grande Rio, está praticamente pronto, mas ainda faltam as obras para o abastecimento de água. O governo federal já investiu mais de R$ 220 milhões no residencial e vai destinar mais R$ 33 milhões para rede de abastecimento.
O ministro informou que em 2017 deixou de investir R$ 24 bilhões no programa por falta de capitalização na Caixa Econômica Federal, o que ocorreu recentemente. "Este ano, com essa capitalização vamos ter R$ 85,5 bilhões em infraestrutura e moradia do Ministério das Cidades para ser investido em todo Brasil", declarou. Baldy negou que o ano eleitoral esteja influenciando o maior número de entregas de casas populares, afirmando que "programas sociais são prioridade desse governo".
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia