Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 03 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

entrevista

Notícia da edição impressa de 01/02/2018. Alterada em 03/02 às 14h16min

Atriz Gloria Pires comemora cinco décadas de carreira

Glória Pires começou na TV 
aos 5 anos, em A pequena órfã

Glória Pires começou na TV aos 5 anos, em A pequena órfã


TV GLOBO/DIVULGAÇÃO/JC
Desde 1968, quando a atriz Gloria Pires entrou em cena pela primeira vez, com apenas cinco anos, em A pequena órfã (TV Excelsior), ela mostra talento e versatilidade na dramaturgia. Neste ano, a artista comemora 50 anos de carreira, com diversos personagens marcantes, especialmente na televisão e no cinema.
Questionada sobre a importância de seu trabalho para a dramaturgia nacional, brinca: "Não sou capaz de opinar". A frase foi dita por ela várias vezes durante a transmissão do Oscar em 2016, e virou piada na internet.
Embora tenha dificuldades para falar de si mesma, Gloria elege os trabalhos que merecem destaque em sua trajetória. "Pela ordem, o meu top five é: Memorial de Maria Moura; Vale Tudo; os filmes Nise, o coração da loucura e Flores raras; e a novela Mulheres de areia. São trabalhos que me marcaram muito em todos os sentidos, seja pela história, pelo perfil da personagem, pelos colegas com quem atuei", analisa a artista.
Atualmente, Gloria encara um desafio completamente diferente em sua carreira, a personagem Duda, de O outro lado do paraíso (Globo), sua primeira trama com o autor Walcyr Carrasco. Na história, a mulher já participou de um assassinato, fugiu, foi presa, mudou de identidade, fingiu a própria morte, achou a filha que não via há anos e ainda deverá ter mais viradas.
"Há muito tempo não escutava as pessoas dizerem com ênfase como uma trama está boa. É uma recepção maravilhosa e assustador no bom sentido", fala Gloria, que afirma tentar desligar de sua personagem ao chegar em casa.
Ultimamente, outra personagem muito famosa que interpretou lhe rende frutos: Maria de Fátima, a golpista de Vale Tudo (Globo, 1988). "Está fazendo 30 anos que a novela foi ao ar pela primeira vez, e as pessoas amam a Maria de Fátima até hoje. No ano passado, eu recebia direto uma cena dela com a Regina Duarte pelo WhatsApp. É uma personagem bem atual e que adoro", finaliza.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia