Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 22 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Affonso Ritter

Observador

Notícia da edição impressa de 23/01/2018. Alterada em 22/01 às 21h55min

Armazenamento móvel

Os produtores brasileiros investem cada vez mais no armazenamento móvel de grãos e forragem em silos-bolsa, feitos de polietileno, que já atingiu 18 milhões de toneladas em 2017, aumento de 97% sobre 2016, segundo a Marcher Brasil, empresa gaúcha que atua no sistema e que faturou 117% mais na mesma comparação. Para se ter uma ideia do aumento da procura, em 2016, foram comercializadas 40 mil bolsas de polietileno, e, em 2017, este número passou para 100 mil unidades, salto de 150%. A expectativa da Marcher é que o Brasil - que hoje embolsa 7,6% de sua produção de grãos em silos-bolsa - atinja os 60% já alcançados pela Argentina. É que eles preservam os grãos em ambiente hermético com controle de umidade e baixa concentração de oxigênio, o que impede a proliferação de fungos e insetos.
Feijão em garrafa PET
O armazenamento em silos-bolsa de polietileno pode ser comparado ao de feijão de cozinha em garrafas PET. É a melhor e mais barata maneira de evitar o surgimento de fungos.
Seguro garantia
Habitualmente, o grande público conhece mais o seguro para automóvel ou patrimonial. Há outros, lembra o diretor da ATG Seguros de Caxias do Sul, Lucas C. Fardo. É o caso do seguro garantia, para cumprimento de obrigação contratual usado por empresas e setores, como energia elétrica, matrizarias, construção civil e obras públicas, nas quais a corretora é uma das poucas especializadas no Estado.
Compras pela internet
O cartão virtual Itaú para compras do último Natal foi usado por mais de 55 mil clientes que emitiram 120 mil cartões através dos apps. O tíquete médio das compras foi de R$ 356,00, e os e-commerces de varejo e passagens aéreas lideraram as transações.
Peregrino na Fenin
A marca gaúcha de vestuário feminino Peregrino, presente em mais de 600 multimarcas no País e que produz cerca de 90 mil peças ao ano, leva, pelo sétimo ano consecutivo, sua coleção outono-inverno à Fenin Fashion, que abre hoje, no Serra Park, em Gramado, e vai até esta sexta-feira. De acordo com a sócia-proprietária Gláucia Maria Fontana Zandoná, em 2017, a empresa aumentou as vendas em 49,93% sobre 2016, e sua expectativa, em 2018, é superar o índice.
Mulheres em Construção
A rede de lojas TaQi e a ONG Mulheres em Construção oferecem, neste fim de semana, oficinas sobre reparos na casa, hidráulica, cerâmica e alvenaria em Capão da Canoa. Além disso, haverá um cadastro para uma aula prática de pintura para 25 mulheres participantes no primeiro dia, com direito a certificado. Na sexta-feira, a oficina será na TaQI do bairro Santo Antônio, e, no sábado, no prédio da Apae em construção.
O crescimento da hamburgueria
O Grupo Severo, de Porto Alegre, que administra a marca de hamburgueria Severo Garage, começa 2018 com a abertura de três unidades. No dia 16 deste mês foi em Florianópolis, hoje é na Padre Chagas de Porto Alegre e, mais ao final do mês, em Belo Horizonte. Contratada para formatação, expansão e gestão da rede de franquias Severo, a Focus Franquias ainda procura investidores no interior gaúcho - Passo Fundo, Caxias do Sul, Gramado, Santa Maria e Pelotas - e tem algumas praças disponíveis para investimentos em Porto Alegre. A primeira loja da Severo Garage foi aberta há um ano pelo advogado Hélio Fontoura, que trocou o escritório pela cozinha, no Bom Fim, com ambientes que lembram uma oficina mecânica.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia