Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 28 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 29/01/2018. Alterada em 28/01 às 21h29min

Frases e personagens

Clarice Strassburger

Clarice Strassburger


MARCELO MATUSIAK/DIVULGAÇÃO/JC
"O ano de 2017 foi o marco do fim da recessão e o início da retomada do crescimento do comércio, sendo que o último trimestre foi o período com maior desenvolvimento, com mais vagas no mercado de trabalho e aumento de vendas. Porém, o percentual previsto para este ano só será alcançado se houver a preservação da inflação abaixo da meta e dos juros em queda." Clarice Strassburger, presidente da CDL de Sapiranga.
"Em Davos, no Fórum Econômico Mundial, o saldo de excursão foi positivo. O Brasil voltou." João Doria (PSDB), prefeito de São Paulo.
"O Brasil estava fora do jogo econômico mundial há quatro anos. Neste ano, voltou com força, não apenas pela presença do presidente da República, mas de vários outros ministros, especialmente o da Fazenda, Henrique Meirelles, muito saudado." Também João Doria.
"Talvez não termine hoje essa novela do julgamento do Lula, porque cabe recurso, mas o importante não é se preocupar com adversário, é se preocupar com eleitor. Quem vai decidir a eleição é o povo." Geraldo Alckmin, governador de São Paulo e presidente nacional do PSDB.
"Corporativismo! Os desembargadores não analisaram a propriedade do imóvel. Limitaram-se a defender o juiz Sérgio Moro. Foi uma defesa da sentença, e não uma análise dos argumentos da defesa. Um jogo de cartas marcadas. Vamos reafirmar a candidatura de Lula." Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara Federal.
"A prisão de Lula pode ser o desejo de muita gente, mas não vão assistir. Se o Judiciário tirou as coisas dos eixos, o que vamos fazer? Ficar de braços cruzados? Estão querendo botar fogo no País. Depois, não venham dizer que somos culpados." Luiz Marinho, presidente do PT paulista.
"Aqui vai um recado para a 'dona' Polícia Federal e para o 'seu' Poder Judiciário: não pensem que vocês mandam no País. Não aceitaremos de forma nenhuma e impediremos que Lula seja preso. Esse é o nosso compromisso." João Pedro Stédile, líder do MST.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia