Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Notícia da edição impressa de 31/01/2018. Alterada em 30/01 às 21h26min

Galeteria na praça

FERNANDO ALBRECHT/ESPECIAL/JC
Depois da invasão de camelôs e de ambulantes que não ambulam vendendo suas quinquilharias, nada mais natural que as comidas de rua, antes restritas a carrinhos, passassem também para a área de restaurantes, digamos assim. Prova disso é essa "galeteria" na Praça Dom Feliciano. O muro ajuda a fazer o foguinho, e as penosas desvestidas estão prontas para o espeto. Só falta ter maquininha de cartão.

Navegantes e Iemanjá I

As vendas do comércio devido ao feriado de Navegantes impactam em 6,2% nas vendas de janeiro em relação a outros meses, de acordo com o Sindilojas Porto Alegre. Mas há que se considerar outro fator. Assim como os católicos rezam para Nossa Senhora dos Navegantes, as religiões afro cultuam Iemanjá, e os crentes compram roupas e outros adereços para celebrar a data.

Navegantes e Iemanjá II

E não é pouca gente. Segundo a Federação das Religiões Afro, o Rio Grande do Sul tem 65,6 mil terreiros de umbanda, quimbanda, matriz africana e candomblé. O município com maior número é Alvorada, com 8 mil terreiros nessas quatro vertentes - mais até que a Bahia, porque 99% dos baianos prestigiam apenas o candomblé. De resto, o Estado é o que tem o maior número de terreiros no País.

A blitz do sol

O Projeto Verão Unimed Porto Alegre apresenta, em parceria com o Sesc e a Federação Unimed-RS, uma blitz pela prevenção solar do Guri de Uruguaiana na beira da praia de Tramandaí, dia 3 de fevereiro, a partir das 14h30min, na Estação do Sesc em Tramandaí.

Surpresa na Serra

Apesar de iniciar 2017 em queda, a economia de Caxias do Sul apresentou crescimento médio de 5,6% no ano passado, depois de três anos consecutivos no vermelho. A surpresa é que o crescimento se deu em todos os setores - a indústria avançou 6,8%, o comércio teve alta de 6,2%, e os serviços cresceram 3%.

O naufrágio da deputada

Quanto mais a deputada federal e aspirante a ministra do Trabalho Cristiane Brasil (PTB-RJ) fala, mais ela se enrola. Enquanto argumentava que qualquer pessoa ou empresário pode ser alvo de uma ação trabalhista, dava para entender, mas, depois, as explicações nada convincentes vieram aos trambolhões. Depois, veio a cereja do bolo, com o desastrado vídeo no barco que ela postou. Como diz o povo: completamente sem noção.

Gibi sem dono


ADRIANA MONTEIRO ARRIAL/DIVULGAÇÃO/JC
Nova Petrópolis promoveu, ontem, o Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos e o II Gibi Sem Dono, ação de incentivo à leitura em comemoração à data. HQs são colocadas nos bancos da Praça das Flores. Além de venda e troca de gibis, qualquer pessoa pode levá-los para ler, desde que os recoloque de onde os tirou.

O Dia D, de Decisão

A Assembleia Legislativa está diante de uma certeza matemática: se o Regime de Recuperação Fiscal não for aprovado, vem aí uma cobrança de mais de R$ 11 bilhões de prestações a serem pagas à União nos próximos três anos. Caso o pior aconteça, significa que os vencimentos dos servidores públicos podem atrasar mais ainda, e o caixa disponível para investimentos ficará mais liso que pedra-sabão. Não tem meio termo nem plano B.

Miúdas

  • MEGA-Sena que corre hoje vai pagar em torno de R$ 30 milhões. Já dá para comprar uma fantasia de rei.
  • EXPECTATIVA de que 130 mil veículos passem pela freeway no feriadão (67 mil na quinta e 63 mil na sexta-feira).
  • OS que ficam na Capital, enfrentarão um velho problema: quase tudo fecha - pelo feriado e pelas férias.
  • DOIS terços dos criadouros do mosquito Aedes se localizam em domicílios. Sem a ajuda do povo, viverá eternamente.
  • MAIS um daqueles dias atípicos em Porto Alegre: ruas cheias de carros e transporte coletivo quase vazio.
  • HORA da verdade: o secretário municipal da Fazenda, Leonardo Busatto, apresenta, hoje, o balanço de 2017.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia