Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Notícia da edição impressa de 05/01/2018. Alterada em 04/01 às 21h19min

De volta ao passado

JOSÉ ABRAHAM/ACERVO ALFONSO ABRAHAM/DIVULGAÇÃO/JC
Quando os caminhos que levavam ao Litoral Norte eram apenas sofríveis, pelo menos já existia uma linha de trem ligando Osório a Palmares. Quando não havia muitos passageiros ou cargas, usava-se os chamados carro-motor. A antiga Viação Férrea do RGS também os usava entre cidades do Interior e na linha Porto Alegre-Taquara-Canela. Nos anos 1960, a Vfrgs usava até caminhonetas Rural Willys adaptadas para trilhos.

Na crista da onda


CARLOS BORGES/DIVULGAÇÃO/JC
O prefeito de Gramado, João Alfredo Bertolucci (PDT), está todo pimpão por ter recebido verba federal de mais de R$ 1 milhão para obras de infraestrutura e assistência social. Fedoca recebeu a visita do ministro Osmar Terra, do Desenvolvimento Social (d) que lhe deu as boas novas. Parece pouco, mas para uma cidade de 35 mil habitantes é muito. Gramado não terá aumento do IPTU, do seu principal imposto.
 

Tremedeira geral

A história mostra que nem sempre se concretizam os grandes temores em relação a uma promessa de grandes tumultos, caso algo ou alguém enfrente algum problema em um determinado dia, como o julgamento de Lula. Os movimentos que insinuaram que vão botar o bloco na rua já conseguiram meia vitória: causar medo nos poderes constituídos, que tremem as perninhas. Será que o Brasil não é maior que promessas de criar confusão?

Historinha de sexta

Sábado de manhã, deck do Café do Mercado. Um grupo de amigos bebe o cafezinho sagrado como fazem habitualmente neste dia. De repente passa um sujeito paleteando uma grande caixa de papelão em cujas laterais lia-se a palavra "Jontex". O doutor Nestor achou por bem pegar a palavra e despejá-la no passante.
Esse é o cara!
Todos riram, menos o fortão que levava a caixa nos ombros. Por alguns segundos ele fez um ar entre o zango e o "qual é?" até que caiu a ficha. Então ele riu também. Porque todos são cordiais em um sábado de manhã.

SAC de primeira

Em matéria de atenção ao cliente o Zaffari merece algum tipo de prêmio. Quando um cliente habitual não faz compras com o cartão do grupo por algum tempo, pressurosas telefonistas ligam e perguntam ao titular se houve algum problema e se está tudo bem com a relação.

Horto invadido

O Horto Florestal em Sapucaia do Sul está sendo detonado pela invasão de casebres em quantidade cada vez maior, alerta leitor. Quando foi criado, nos anos 1950, era o pulmão verde do Vale dos Sinos. A rodovia que o atravessava, que ligava São Leopoldo a Sapucaia, construída nos anos 1950, usava placas de cimento. Durou décadas.

A cobra de Ipiranga do Sul...

Era o que nos faltava para criar uma nova e poderosa lenda urbana. A morte de um adolescente de 12 anos em Ipiranga do Sul, no Norte do Estado, primeiro foi atribuída ao ataque de uma cobra gigante. O legista descartou a hipótese, a causa mortis foi afogamento e não esmagamento, mas vá convencer o povo de que pau não é pedra. Vão começar a ver cobra até em poço artesiano do Rio Grande do Sul.

...e a cobra do supermercado

Lenda urbana é como fogo morro acima e água morro abaixo, ninguém segura. Na década de 1980 surgiu um boato que tomou conta primeiro da Capital depois no Interior de que uma cobra havia picado uma criança na gôndola de um supermercado Real, a maior rede na época. A boataria foi tão forte que o Real teve que publicar a pedidos em três cidades para desmentir o ataque do réptil peçonhento.

Miúdas

  • CAIXA Econômica Federal, por meio das Loterias, registrou em 2017 a arrecadação de R$ 13,88 bilhões em apostas, crescimento nominal de 8,14% em relação a 2016.
  • a captação da caderneta de poupança no ano passado somou R$ 8 bilhões. Foram sete milhões de novas contas, total de 74 milhões.
  • NÃO se pode ser feliz. Quando o marrom do mar dá lugar às águas cristalinas, lá vem a mãe d'água.
  • TV nos aviões podem estar com os dias contados. Custam caro e são pesadas, impedindo mais carga e passageiros.
  • SÉRGIO Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, pode figurar no Guiness: 20 denúncias na Lava Jato em um ano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia