Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 03 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Notícia da edição impressa de 03/01/2018. Alterada em 02/01 às 21h20min

Posse na colenda

DIÓGENES ALVARES/DIVULGAÇÃO/JC
Dois bicudos não se beijam, diz o adágio popular. Ainda mais quando os dois são políticos com pavio mais curto que coisa de porco, caso do vereador Valter Nagelstein (PMDB) e do prefeito Marchezan Jr. (PSDB), que já vivem às turras há mais tempo. Hoje Nagesltein toma posse como presidente da colenda porto-alegrense e é de se esperar, para o bem da cidade, que os dois coloquem a cidade acima das divergências.

Os previsores

A cada ano que passa os meios de comunicação vão diminuindo o espaço dado a videntes e previsores do futuro. Talvez porque esta área hoje esteja dominada pelos economistas. Seja como for, ninguém mais vem com aquelas bobagens tipo "um artista importante vai morrer" ou "um casal famoso vai se separar". Até porque um em cada três brasileiros se separam depois de determinado tempo.

Fé na poupança

A grande meta dos brasileiros para 2018 é juntar dinheiro, diz pesquisa do SPC Brasil e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas. Mais da metade (54%) se declararam otimistas; 13% acham que a economia vai piorar.

O ano da virada fixa

Como em todo Ano-Novo, as opiniões se dividem quanto ao significado do evento. Para uns, é um novo ciclo de esperanças que se renovam, incluindo melhoramentos na cabeça das pessoas e expectativa da eleição, a terna expectativa de que desta vez vamos em frente. Não temos ido nos últimos anos. Fato é que nenhum povo muda em 365 dias. Mas, devagar se vai ao longe. Oremos.

Pouco efeito

O preço da gasolina comercializada nas refinarias terá uma redução de 0,1%. Poderia ser de 1% ou mais porque para o consumidor nunca há esse benefício, no máximo pontualmente. No Brasil, a lei da gravidade é para cima.

Milagre

Apenas um ferido com fogos de artifício e outro com arma de fogo. Esse foi o balanço dos atendimentos do Pronto Socorro de Canoas durante o feriadão. O número de atendimentos foi de 603 pacientes, movimento considerado "normal e até abaixo do esperado", segundo Caroline Freitas, coordenadora de Enfermagem da emergência. Em 2016, foram 949 casos.

Perigo em fatias

A proibição da venda de três lotes do queijo mussarela fatiado da marca Friolack (matéria nesta edição) mostra mais uma vez como é fácil consumir um produto que contenha bactérias perigosas. A bactéria listeria, no caso, tem como público alvo prioritário idosos, grávidas e imunocomprometidos. Sabe-se lá quantos outros produtos lácteos ou não também contêm microrganismos potencialmente fatais.

No tempo das diligências I


DAVI MENDA/ACERVO/DIVULGAÇÃO/JC
O título remete ao famoso filme do cineasta John Ford, mas poderia ser rodado aqui mesmo poucas décadas depois. Só que em vez da Wells Fargo, o serviço de diligências entre Porto Alegre e Tramandaí era explorado por um gaúcho. Precisava ter muita vontade de entrar no mar para enfrentar a distância, as péssimas estradas e quebras.
 

No tempo das diligências II

Considerando-se que o ano era 1913 e sabendo das dificuldades ao longo do percurso, até que os fogosos cavalinhos que levavam os veranistas conseguiam um tempo de viagem razoável. Saía-se às 3h da madrugada, almoçava-se em Miraguaia, distrito de Santo Antônio da Patrulha, e jantava-se noite avançada em Tramandaí. Era o máximo que a casa oferecia.

Miúdas

  • PREFEITURA vai fazer ações em 13 praças da Capital. Ótimo, palmas, mas quando chegará a vez de ações nos buracos?
  • EX-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que o Brasil não vai tremer se Lula for condenado dia 23.
  • SIMPATIZANTES de Lula e sindicatos dizem que vai tremer, sim. Façam suas apostas.
  • TAMBÉM não dá para descartar a hipótese do julgamento ser adiado em caso de tremedeira.
  • PELADURA geral na distribuição de calendários de 2018. Até o da Caixa não foi distribuído este ano.
  • ÁGUAS Vivas invadiram as praias do Rio de Janeiro. Aqui, nem sinal. É a vantagem do mar marrom...
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Werner Meyer 03/01/2018 08h10min
O calendário da CAIXA está sendo distribuído desde o início de dezembro de 2017.