Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 21 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Notícia da edição impressa de 22/01/2018. Alterada em 19/01 às 19h14min

Caminho das pedras: abordagem multimodal

Gabriel Lobitisky
Embora a maior parte dos exemplos bem-sucedidos estejam focados em como um app transformou uma indústria inteira, ou no fato de que graças a grandes dados e tecnologias emergentes as pessoas nunca mais comprarão, assistirão ou comerão um determinado produto/serviço da mesma maneira; não se engane: transformação digital não é somente sobre tecnologia, embora ela seja parte importante desta equação.
Tecnologia é apenas uma das peças deste quebra-cabeça. O sucesso, de fato, está na estrutura. Ou seja: é preciso ter uma organização configurada não apenas para dar suporte à transformação digital, como também para assegurar que o core business continue a funcionar. Ray Wang, da Constellation Research, explicou no artigo "Nine starting points for digital transformation in manufactaring", quais os perfis de equipes, estejam elas presentes fisicamente, ou trabalhando virtualmente, necessárias para alcançar o sucesso nesta transformação.
As equipes de inovação incremental melhoram os modelos de negócios existentes. Elas têm a incumbência de melhorar o modelo existente de forma a torná-lo mais ágil, eficaz e barato. As principais características desse grupo incluem domínio técnico, paixão por melhoria, compreensão das restrições e espírito de inovação.
Para inovar com novos modelos de negócios, surgem os times de inovação transformacional. Muitas vezes vistos como grupos de operações especiais essas pessoas exploram modelos de negócios adicionais e suas principais características são: propensão para interrupção, desrespeito às regras existentes, paixão por inovação e capacidade de lidar com conceitos abstratos.
Os times de governança asseguram o alinhamento geral da organização. Esta equipe deve fornecer regras básicas para garantir que se alcance os objetivos de negócios. Em alguns casos, inclusive, esta equipe configura o ecossistema de parceria para coinovação e cocriação. As principais características incluem experiência em elaboração de políticas, gerenciamento de compras, design de compensação e conhecimento político.
Para empresas menores, uma lista como essa pode parecer intimidante, pois fica parecendo que é preciso um exército para que a transformação digital aconteça. A boa notícia é que não é preciso ser um gigante para se aproveitar disso. E a verdade é que as PMEs muitas vezes têm mais facilidades para pensar de forma diferente e agir rapidamente para aproveitar as oportunidades; ou, melhor ainda, criar as suas próprias. Seja como for, ou para que públicos forem, uma lista como essa deve funcionar como uma forma de estruturar pensamento e processos. O que importa, é que todos os aspectos de uma estratégia - da inspiração e execução a integração e manutenção contínua - sejam abordados.
Diretor de Vendas da Infor para o Sul da América Latina
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia