Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Peru

Notícia da edição impressa de 26/12/2017. Alterada em 25/12 às 21h05min

Sob críticas, PPK concede indulto humanitário a Alberto Fujimori

O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski (PPK), anunciou, no domingo à noite, indulto humanitário ao ex-presidente Alberto Fujimori, que cumpria pena de prisão de 25 anos por abusos de direitos humanos, corrupção e anuência a esquadrões da morte. Em comunicado divulgado na véspera de Natal, PPK explicou que decidiu libertar Fujimori por "questões humanitárias", uma vez que médicos concluíram que o ex-líder peruano sofre de problemas de saúde incuráveis e degenerativos.
Fujimori, de 79 anos, governou o Peru entre 1990 e 2000, e é uma figura controversa no país. Alguns o elogiam por ter derrotado o movimento guerrilheiro de inspiração maoísta Sendero Luminoso, enquanto outros o desprezam por ter violado direitos humanos durante sua administração. Grupos de direitos humanos criticaram o gesto de Kuczynski.
Críticos de Fujimori acusam PPK de ter concedido o perdão ao ex-líder como retribuição por parlamentares de oposição não terem apoiado seu impeachment. Keiko Fujimori, filha do ex-presidente, foi derrotada na última eleição presidencial, e seu partido domina o Congresso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia