Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 10 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Ensino Superior

Notícia da edição impressa de 11/12/2017. Alterada em 10/12 às 21h22min

Ufrgs aponta 239 casos de uso indevido de cotas e pode desligar estudantes

Em atendimento a denúncias coletivas e individuais, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) deu início a um processo de apuração de supostos casos de fraude no uso de cotas raciais do Programa de Ações Afirmativas da universidade. Depois de avaliação, 239 estudantes tiveram a autodeclaração indeferida e podem perder o vínculo com a universidade.
A universidade chegou a um total de 359 pessoas, das quais 25 estavam evadidas (sem vínculo com a instituição), de modo que a aferição envolveu 334 alunos. No total, 274 (82% dos notificados) estudantes compareceram às aferições. Destes, 35 tiveram a declaração deferida (13% dos que compareceram, 10% dos notificados) e 239 estudantes tiveram a declaração indeferida (86% dos que compareceram, 72% dos notificados). Os resultados foram comunicados aos alunos entre os dias 4 e 6 de dezembro. Aqueles que tiveram a declaração indeferida têm prazo de dez dias, a contar do recebimento do parecer, para apresentar recurso.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia