Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

mundial de clubes

Notícia da edição impressa de 13/12/2017. Alterada em 12/12 às 22h35min

Grêmio vence o Pachuca e garante vaga na decisão

Em lance individual, atacante fez o gol no começo da prorrogação

Em lance individual, atacante fez o gol no começo da prorrogação


/GIUSEPPE CACACE/AFP/JC
O Grêmio está na final do Mundial de Clubes. O Rio Grande inteiro - seja para torcer, seja para secar - vai parar às 15h de sábado para acompanhar a decisão contra o vencedor do duelo entre o poderoso Real Madrid e o surpreendente Al Jazira. Garantir a vaga no jogo mais importante dos últimos 22 anos do clube, porém, não foi nada fácil. Quem imaginou uma partida tranquila, com um placar elástico, se surpreendeu com os 120 minutos disputados entre Grêmio e Pachuca, ontem, em Al Ain. O Tricolor sofreu, precisou da prorrogação, mas venceu os mexicanos por 1 a 0, com o gol de Everton, que saiu do banco para garantir os gaúchos na grande decisão, em Abu Dhabi. O adversário será conhecido hoje, às 15h, em duelo entre os favoritos espanhóis e os anfitriões árabes.
O início de jogo foi truncado, com as duas equipes criando pouco, sem chegar muito ao ataque. Tanto que as principais chances dos comandados do técnico Renato Portaluppi foram em bolas paradas. Aos 16 minutos, Edílson cobrou falta com perigo, a bola subiu, mas assustou o goleiro Óscar Pérez.
Já aos 27 minutos, quem levou perigo foram os mexicanos. Honda recebeu na entrada da área, mas Cortez apareceu na hora certa para cortar o lance do meia japonês. Aos 40, o Tricolor voltou a se aproximar do gol em uma cobrança de falta. Desta vez, Fernandinho soltou a bomba e a bola novamente subiu, saindo por cima. Aos 45, Honda surgiu novamente na cara de Marcelo Grohe, e, mais uma vez, Bruno Cortez salvou a pátria gremista.
O segundo tempo começou com o Pachuca com mais posse de bola e o Grêmio desencontrado. Aos nove minutos, Jailson saiu jogando errado, perdeu para Urretaviscaya, que avançou e bateu colocado. Grohe fez a ponte e espalmou. Um pouco antes desse lance, Portaluppi mudou o time, sacando Barrios e colocando Jael em campo. O camisa 9 deu outro ritmo ao Grêmio, buscando jogadas fora da área.
O Tricolor quase marcou na tão trabalhada bola parada, que assustou duas vezes os mexicanos no primeiro tempo. Aos 29, Edílson acertou boa cobrança de falta, de longe, e a bola acabou na rede, pelo lado de fora. Seis minutos depois, o Pachuca respondeu com uma boa cabeçada de Guzmán, que raspou a trave. Antes do fim do tempo normal, Luan desperdiçou chance incrível na pequena área, ao errar o domínio de bola, que parou nas mãos de Óscar Pérez.
Grêmio 1x0 Pachuca
Marcelo Grohe; Edílson (Léo Moura), Geromel, Kannemann e Cortez; Michel (Éverton), Jaílson, Ramiro, Luan e Fernandinho (Rafael Thyere); Lucas Barrios (Jael). Técnico: Renato Portaluppi
Óscar Pérez; Martínez, Gonzáles, Murillo e García (Sagal); Hernández, Guzmán, Honda e Aguirre (Sánchez); Urretaviscaya (Cano) e Franco Jara (Herrera). Técnico: Diego Alonso
Árbitro: Felix Brych (ALE)

Amuleto do treinador, Everton sai do banco para garantir a vitória

Logo no início da prorrogação, o amuleto de Renato Portalupppi colocou o Grêmio na frente e aliviou os cerca de 2 mil gremistas que estavam no estádio Hazza bin Zayed. Aos quatro minutos da etapa inicial, Cortez cobrou lateral com rapidez, pela esquerda, e acionou Everton. O atacante avançou, entrou na área, cortou para dentro e bateu forte, estufando as redes mexicanas. Esta não foi a primeira vez em que Everton saiu do banco para garantir uma classificação gremista. Contra o Palmeiras, pelas quartas de final da Copa do Brasil do ano passado, o "Cebolinha" marcou o gol de empate que garantiu o time nas semifinais do torneio.
O restante do tempo extra não teve mais emoção. Nitidamente cansado, o Pachuca ainda teve o atacante Guzmán expulso, após levar o segundo cartão amarelo. Com um a menos, os mexicanos ficaram sem forças para igualar o placar.

Portaluppi atribui dificuldades na estreia ao nervosismo e ao cansaço

O técnico Renato Portaluppi culpou o nervosismo da equipe pela vitória sofrida sobre o Pachuca. "No início, os jogadores estavam nervosos, falei com eles sobre isso. Não havia motivo para tanto. No segundo tempo, melhoramos e, na prorrogação, o Everton fez aquela bela jogada e marcou", afirmou.
Portaluppi também considerou o cansaço como determinante para a atuação abaixo do esperado. "Estamos no final de ano também, o time está cansado, né? Mesmo assim, superamos um grande adversário e estamos na final", comentou. Ele aproveitou ainda para falar que o seu time jogará para vencer no sábado. "Tem muita gente achando que o Grêmio cumpriu o papel e que o que vier é lucro. Não penso assim. Sou campeão mundial, vou trabalhar com o grupo para ser campeão. O torcedor pode ficar tranquilo que a gente vai brigar muito por esse título", afirmou.

Real Madrid tem força máxima diante do Al Jazira

O Real Madrid encerrou ontem a sua preparação para a estreia no Mundial. O técnico Zinedine Zidane pôde contar com os zagueiros Sergio Ramos e Raphael Varane e com o atacante Gareth Bale no treino. O trio trabalhou normalmente e está à disposição para enfrentar o Al Jazira, hoje, às 15h, para decidir quem enfrentará o Grêmio.
A maior preocupação recaía sobre Ramos, que na segunda-feira reclamou de dores na panturrilha. O defensor trabalhou sem dar sinais de desconforto e mostrou estar em boas condições para encarar os árabes, em Abu Dhabi. Varane e Bale têm situação diferente, pois já viajaram até os Emirados Árabes com problemas físicos. Mesmo assim, eles trabalharam normalmente com o restante do grupo.
Apesar do amplo favoritismo do Real, Zidane afirma que a equipe espanhola não terá um jogo fácil contra o Al Jazira. "Queremos fazer o máximo para poder ganhar. Amanhã (quarta-feira) temos a semifinal e vamos tentar vencer para ganhar o título. Estamos aqui para isso e só pensamos nesta competição", declarou o técnico.
Ontem, antes do duelo entre gaúchos e mexicanos, o Urawa Red Diamonds, do Japão, conquistou o quinto lugar ao vencer o marroquino Wydad Casablanca por 3 a 2, com dois gols do brasileiro Maurício Antônio.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia