Porto Alegre, quinta-feira, 21 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

Futebol

Notícia da edição impressa de 22/12/2017. Alterada em 21/12 às 16h44min

A Copa do Mundo no maior país da Terra

Nizhny Novgorod Stadium, em Moscou, é um dos estádios da Copa

Nizhny Novgorod Stadium, em Moscou, é um dos estádios da Copa


FIFA/DIVULGAÇÃO/JC
Deivison Ávila
O maior país em extensão territorial do mundo será o palco do maior evento esportivo do planeta. A Copa do Mundo da Rússia terá grandes distâncias percorridas pelas seleções, mas contará com uma nação apaixonada pelo esporte, mesmo que a seleção nacional não tenha um protagonismo no cenário mundial. A organização espera cerca de 1,5 milhão de torcedores para acompanhar a competição. No total, o governo russo investiu mais de 638 bilhões de rublos (R$ 35 bilhões) em infraestrutura para quem for conferir o torneio de perto. Além de assistir aos jogos, os turistas têm dezenas de opções turísticas. Ao contrário das baixas temperaturas que fazem parte do cenário russo, a previsão é de clima ameno durante o período do Mundial.

Favoritas ao título

  • Alemannha: Atual campeã, a equipe comandada por Joachim Löw desembarca na Rússia como uma das principais candidatas ao título e a única que pode conquistar o penta e alcançar o Brasil. Com renovações pontuais no elenco, o time segue com a base que aplicou os 7 a 1 na seleção em 2014, com nomes como o goleiro Neuer, os meias Khedira, Kroos e Özil, e os atacantes Thomas Müller e Mario Gomez.
  • Argentina: A classificação foi de forma suada, mas a chegada de Jorge Sampaoli em meio às eliminatórias sul-americanas tirou um pouco da cobrança das costas do treinador. Os hermanos chegaram à final no último Mundial e podem surpreender novamente na Rússia. Lionel Messi segue sendo a grande esperança de título, algo que os argentinos não conseguem desde 1986, no México.
  • França: Depois de algumas edições com desempenho abaixo do esperado, a seleção francesa pinta como candidata ao título em solo russo. Mesmo com a decepção do vice na última edição da Eurocopa, em casa, os comandados de Didier Deschamps despontam com boas chances de chegar à final. Além dos renomados Griezmann, Lloris e Pogba, o destaque vai para os jovens talentos Thauvin, Mbappé e Dembélé.
  • Brasil: Parece que os fatídicos 7 a 1 sofridos para a Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo no Brasil, ficaram para trás. A renovação no elenco foi pontual. A principal mudança ficou por conta da chegada de Tite no comando técnico. Ele deu seu estilo de jogo e colocou alguns nomes em evidência dentro das quatro linhas - casos de Neymar, Gabriel Jesus e Philippe Coutinho.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Antiga p agina Inicial

Acesse o caderno especial online