Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Contas Públicas

Alterada em 26/12 às 17h52min

MP dos Fundos Constitucionais prevê abatimento conforme desenvolvimento regional

A secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, disse, nesta terça-feira (26), que a medida provisória dos Fundos Constitucionais assinada pela Casa Civil parametriza o abatimento na Taxa de Logo Prazo (TLP) para empréstimos com esses fundos, de acordo com o grau de desenvolvimento de cada região à qual esses fundos se referem - Norte, Nordeste e Centro-Oeste.
A ideia é dar um parâmetro para a fixação dos juros nas operações desses fundos no caso de créditos não rurais, com a previsão de um redutor para manter as políticas de desenvolvimento regional. A medida foi negociada com parlamentares do Nordeste para vencer a resistência à criação da TLP, uma das mais importantes e sensíveis iniciativas da equipe econômica. O senador Fernando Bezerra (PSB-PE) atuou como um dos principais interlocutores do Congresso Nacional nessa negociação.
O redutor levará em conta o coeficiente de desenvolvimento regional. Esse coeficiente corresponde à renda per capita das regiões comparada com a média nacional. Por essa regra, os financiamentos do fundo constitucional do Nordeste teriam o juro real 40% menor, seguindo a proporção da renda per capita da região em relação à média do país, explicou o senador. Segundo o parlamentar, a renda per capita dos nordestinos corresponde a 60% da média.
"A discussão iniciou por provocação dos parlamentares. Vamos atender a lei (que prevê juros diferenciados e favorecidos) por meio dos redutores", afirmou a secretária do Tesouro. "O objetivo é dar mais segurança. Não necessariamente aumentará os juros", explicou.
Os fundos constitucionais são formados por 1% da arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e têm como objetivo fomentar projetos nas regiões menos desenvolvidas do País. Hoje, os juros dos fundos constitucionais do Centro-Oeste (FCO), Nordeste (FNE) e do Norte (FNO) são definidos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia