Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

22/12/2017 - 23h04min. Alterada em 24/12 às 09h52min

TRF4 determina urgência no exame de pedido da OAB-RS contra aumento da CEEE

Flores considera o pedido "relevante" por colocar em risco direitos e determinou exame

Flores considera o pedido "relevante" por colocar em risco direitos e determinou exame


MARCO QUINTANA/JC
Patrícia Comunello patriciacomunello@jornaldocomercio.com.br
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) determinou urgência no exame do pedido da OAB-RS para suspender o aumento médio de 30% da conta de luz dos clientes da CEEE. O aumento está em vigor desde essa quinta-feira (21). O presidente do TRF4, o desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, decidiu no fim da tarde desta sexta-feira (22) que o plantão da Justiça Federal deve examinar o pleito imediatamente. Flores considera o pedido "relevante" por colocar em risco direitos.
A decisão atende ao agravo feito pela ordem nessa quinta-feira (21), após uma juíza federal de plantão da 8ª Vara Federal, em Porto Alegre, ter descartado a urgência na apreciação. No despacho, o presidente do tribunal diz:
"Vislumbro presentes os pressupostos para o deferimento parcial do efeito suspensivo ao fim de determinar o retorno dos autos ao juízo plantonista de primeiro grau para apreciação do pedido de tutela de urgência, sob pena de supressão de instância, tendo em vista a relevância da fundamentação e o risco de perecimento do direito da parte agravante, que representa os interesses difusos dos consumidores de energia elétrica no Estado do Rio Grande do Sul". 
A juíza Carla Evelise Justino Hendges já intimou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para que se manifeste explicando a majoração em até 72 horas. A juíza Maria Isabel Pezzi Klein não havia concedido o exame de urgência da liminar, após a OAB/RS ter ingressado na manhã dessa quinta. Maria Isabel entendeu que o pedido poderia ser julgado em janeiro. O Judiciário está em recesso e retorno nos primeiros dias de 2018.
Em nota, o presidente da OAB-RS, Ricardo Breier, reforçou que o aumento "afeta milhares de pessoas, com prejuízos incalculáveis para muitas famílias e negócios". "Seguiremos trabalhando, mesmo nesse período de festas”, avisou o dirigente da ordem.
Uma das alegações da ordem é que não houve transparência e explicações para justificar o aumento. A estatal falou em coletiva à imprensa nessa quinta que poderá também pedir um reajuste extraordinário em fim de 2018, além do que a concessionária pode encaminhar á Aneel dentro das regras do sistema regulatório em vigor.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Daniel Pereira DAlascio 26/12/2017 13h13min
É só a OAB ler a resolução 414/2010 da ANEEL, além obterá todas as informações sobre a composição tarifária de todas as distribuidoras Brasileiras.nDaniel Pereira DAlascionEng. Eletricista