Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Notícia da edição impressa de 13/12/2017. Alterada em 13/12 às 09h51min

Sinal analógico acaba em 107 municípios em janeiro

Quadros esteve em Porto Alegre falando sobre a migração de sistemas

Quadros esteve em Porto Alegre falando sobre a migração de sistemas


/FREDY VIEIRA/JC
Jefferson Klein
No dia 31 de janeiro, a maior parte dos gaúchos não poderá mais contar com o sinal analógico da TV aberta, que será desligado em 107 municípios do Rio Grande do Sul. Essas cidades estão localizadas na parte Leste do Estado (em regiões como a Metropolitana, o Litoral e a Serra) e envolvem cerca de 6 milhões de pessoas.
O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Juarez Quadros, comenta que em torno de 75% dos habitantes desses municípios já estão vendo seus programas de TV com a opção digital, e a perspectiva é de que, no momento do desligamento, pelo menos 90% tenham acesso a esse tipo de sinal. Posteriormente, a expectativa é chegar à totalidade dos lares com televisores adaptados ao digital. A parte Oeste do Estado, adianta o dirigente, deverá ser abrangida até o final do próximo ano. Assim, com algumas exceções, praticamente todo o Rio Grande do Sul estará recebendo o sinal digital até o fim de 2018. O analógico será totalmente apagado em 2023, e os televisores mais antigos (como os de tubo), que não receberem as adaptações necessárias, ficarão sem receber as programações.
Quadros esteve ontem em Porto Alegre falando sobre a migração de sistemas e para distribuir o kit gratuito da TV digital de número 315 mil, de um total de 480 mil que deverão ser entregues nos 107 municípios do Estado. Têm direito aos kits gratuitos - compostos por conversor, antena e controle remoto - famílias cadastradas em programas sociais do governo federal. No total do País, serão distribuídos 12 milhões de kits, ação suportada com recursos das empresas de telefonia celular. Para quem precisar comprar o kit, segundo o presidente da Seja Digital (que participa do processo de digitalização), Antônio Carlos Marteleto, os valores no mercado oscilam de R$ 150,00 a R$ 200,00.
Entre as justificativas para o investimento, o presidente da Anatel cita a qualidade superior da imagem e do som do sinal digital. Quadros recorda, ainda, que a frequência de 700 MHz, que será liberada pelas emissoras de TV, será repassada (através de leilões) para as empresas de telefonia celular que operam com a tecnologia 4G. Com isso, de acordo com o dirigente, será possível alcançar uma maior velocidade na transmissão de dados e um uso melhor do aparelho celular dentro de espaços fechados, como, por exemplo, edifícios.

Cidades que ficarão sem sinal analógico

Alto Feliz, Alvorada, Araricá, Arroio do Meio, Arroio dos Ratos, Balneário Pinhal, Barão, Barão do Triunfo, Barra do Ribeiro, Bento Gonçalves, Boa Vista do Sul, Bom Retiro do Sul, Brochier, Butiá, Cachoeirinha, Campestre da Serra, Campo Bom, Canela, Canoas, Capela de Santana, Capivari do Sul, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Charqueadas, Cidreira, Colinas, Dois Irmãos, Eldorado do Sul, Estância Velha, Esteio, Estrela, Farroupilha, Fazenda Vilanova, Feliz, Flores da Cunha, Garibaldi, General Câmara, Glorinha, Gramado, Gravataí, Guaíba, Harmonia, Igrejinha, Imbé, Imigrante, Ivoti, Lajeado, Linha Nova, Monte Belo do Sul, Montenegro, Morro Reuter, Nova Petrópolis, Nova Roma do Sul, Nova Santa Rita, Novo Hamburgo, Osório, Palmares do Sul, Pareci Novo, Parobé, Paverama, Picada Café, Portão, Porto Alegre, Presidente Lucena, Rolante, Santo Antônio da Patrulha, São Francisco de Paula, São Jerônimo, São José do Hortêncio, São José do Sul, São Leopoldo, São Marcos, São Sebastião do Caí, Sapiranga, Sapucaia do Sul, Tabaí, Tapes, Taquara, Taquari, Teutônia, Tramandaí, Três Coroas, Triunfo, Tupandi, Vale Real, Veranópolis, Viamão, Westfália, Xangri-Lá, Bom Princípio, Marata, Mato Leitão, Minas do Leão, Nova Pádua, Salvador do Sul, Santa Clara do Sul, São Pedro da Serra, São Vendelino, Sentinela do Sul, Capitão, Cotiporã, Cruzeiro do Sul, Ipê, Lindolfo Collor, Nova Hartz, Pouso Novo, São Valentim do Sul.
Fonte: Anatel
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Sergio 13/12/2017 16h48min
Em imagino a queda de telespectadores! Como isso irá influir na arrecadação das empresas concessionárias de televisão, afinal a cobrança dos "comerciais" é em relação direta com o numero de telespectadores. Mais uma preocupação para a RBS além é claro com a investigação da operação Zelotes da Policia Federal. A coisa vai pegar fogo.