Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Automotor

COMENTAR | CORRIGIR

LANÇAMENTO

Notícia da edição impressa de 15/12/2017. Alterada em 14/12 às 20h03min

Panamera 4 E-Hybrid liga o luxo à sustentabilidade

Cockpit conta com painéis sensíveis ao toque e displays configuráveis

Cockpit conta com painéis sensíveis ao toque e displays configuráveis


PORSCHE/DIVULGAÇÃO/JC
Equipado com dois motores, um a combustão e outro elétrico, o automóvel fornece até 462 cv de potência de forma combinada ao condutor. A avançada mecânica do modelo inclui ainda suspensão a ar adaptável com amortecedores pneumáticos ajustáveis, tração integral ativa com embreagem multidisco regulada eletronicamente e sistema de transmissão de oito marchas.
"O Panamera 4 E-Hybrid é o segundo híbrido que trazemos para o País. Um carro que oferece a perfeita combinação de performance, prazer em dirigir e eficiência energética", declara Werner Schaal, diretor de vendas da Porsche Brasil.
O propulsor a combustão do veículo, um V6 biturbo de 2.9 litros, rende 330 cv de potência entre 5.250 e 6.500 rpm. O torque máximo de 450 Nm aparece a 1.750 giros e se mantém até 5.000 rotações. Já o motor elétrico gera 136 cv de potência e 400 Nm de torque, resultando, em modo combinado, nos já mencionados 462 cv, a 6.000 rpm, e 700 Nm de torque entre 1.100 e 4.500 giros.
Com a contribuição da tração integral e do câmbio de dupla embreagem e oito marchas, o Panamera 4 E-Hybrid acelera de zero a 100 km/h em 4,6 segundos e atinge a velocidade máxima de 278 km/h. Rodando apenas com o propulsor elétrico, o carro tem velocidade máxima limitada em 140 km/h para conseguir a autonomia de 50 quilômetros.
O sistema elétrico do Panamera 4 E-Hybrid pode ser recarregado nas desacelerações e frenagens ou pela tomada elétrica convencional. O veículo é comercializado com um carregador universal de 3,6 kWh de potência. Em uma tomada doméstica de 220V com 20 amperes, a bateria será recarregada em um intervalo de quatro a oito horas.
Opcionalmente, o cliente poderá adquirir um carregador com potência de 7,2 kWh. Ao utilizá-lo com um plugue de tomada industrial de cinco pinos (incluso sem custo adicional), o tempo de recarga da bateria cai para duas horas.
Caso haja energia na bateria, a partida do Panamera 4 E-Hybid será sempre dada no modo elétrico "E Power". No "Hybrid Auto", o carro alterna e combina automaticamente as fontes de propulsão. No modo "E-Charge", a bateria é abastecida pelo motor a combustão. E nos modos "Sport" e "Sport Plus", o V6 biturbo permanece continuamente ativo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia