Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Crédito

28/11/2017 - 16h40min. Alterada em 28/11 às 16h48min

Em parceria com o Procon, Pucrs realiza mutirão de renegociação de dívidas

Primeira edição do mutirão foi realizada em junho deste ano

Primeira edição do mutirão foi realizada em junho deste ano


FREDY VIEIRA/ARQUIVO/JC
A Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs) e o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Porto Alegre realizarão um mutirão de renegociação de dívidas nesta quinta (30) e sexta-feira (1º). Em sua segunda edição, o evento é promovido pelas escolas de Negócios e de Direito da universidade e tem o objetivo de reduzir o endividamento da população.
Participarão do mutirão diversas instituições financeiras e empresas de telefonia. Além da possibilidade de renegociar as dívidas, os participantes poderão cursar uma oficina sobre orçamento pessoal. Conforme a Pucrs, a renegociação será efetuada apenas nos casos onde não há ação judicial movida pelo consumidor contra a empresa ou vice-versa.
A será realizada das 8h30min às 17h, no 7º andar do prédio 50, no campus sede da instituição de ensino. Estarão presentes representantes dos bancos Agiplan, Caixa Econômica Federal, Itaú, Bradesco, Santander e Portocred e das telefônicas Vivo, Claro, Oi e Tim. Banco do Brasil, BMG e Cetelem, prestarão atendimento via internet.
Para os consumidores, é necessário levar documento de identidade, comprovante de residência, endereço de e-mail e documentos de pagamentos já realizados e contratos firmados junto à empresa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia