Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 27/11 às 19h26min

Dow Jones renova recorde enquanto investidor aguarda reforma tributária

Os mercados acionários americanos fecharam sem direção única nesta segunda-feira (27), com os investidores atentos aos desdobramentos da reforma tributária no Congresso dos Estados Unidos e à forte agenda de indicadores e eventos na semana.
O índice Dow Jones fechou em alta de 0,10%, aos 23.580,78 pontos, renovando máxima histórica de fechamento; o S&P 500 recuou 0,04%, aos 2.601,42 pontos; e o Nasdaq perdeu 0,15%, aos 6.878,52 pontos.
Diversos assuntos estarão no centro das atenções dos investidores nesta semana: na agenda de indicadores, saem o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA e a inflação medida pelo índice de preços dos gastos com consumo (PCE). No entanto, é no Capitólio que o movimento será mais intenso: Jerome Powell, o futuro líder do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), será sabatinado nesta terça-feira no Comitê Bancário do Senado e a atual presidente do Fed, Janet Yellen, irá depor no Congresso no dia seguinte. Na quinta-feira, será a vez do plenário do Senado apreciar a reforma tributária, após o presidente Donald Trump ter conversado, dois dias antes, com senadores do Partido Republicano.
Em comentário nesta segunda-feira, o senador republicano Rand Paul (Kentucky) afirmou que irá votar a favor da reforma. Horas depois, o também senador pelo Partido Republicano Steve Daines (Montana) disse que não apoia o projeto, mas apontou otimismo com a possibilidade de alterações na proposta final.
Investidores também se atentaram a papéis de energia. Com a aproximação da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que deve estender o pacto de corte na produção até o fim de 2018, os preços do petróleo operaram em queda, corrigindo fortes ganhos recentes. Ações de companhias de energia acompanharam o movimento baixista: a Chevron perdeu 0,79%, a ExxonMobil recuou 0,38% e a Chesapeake cedeu 2,81%.
Já a Cyber Monday fez a procura por ações de varejistas se fortalecer nesta segunda-feira. A Amazon fechou o dia em alta de 0,83%, a US$ 1.195,83, em nova máxima histórica.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia