Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

Notícia da edição impressa de 23/11/2017. Alterada em 22/11 às 22h52min

Feira de calçados em Gramado reflete o reaquecimento do setor

Evento de negócios do ramo calçadista recebeu 200 importadores de 35 países

Evento de negócios do ramo calçadista recebeu 200 importadores de 35 países


/DINARCI BORGES/DIVULGAÇÃO/JC
A reunião do setor calçadista com a sexta edição da Zero Grau - Feira de Calçados e Acessórios, encerrada ontem, em Gramado, mostrou uma retomada da economia e principalmente um novo ânimo nos personagens deste setor, que responde por cerca de 300 mil empregos no País. A feira mostrou uma coleção eclética para a próxima temporada de frio com calçados mais pesados para o Sul e Sudeste do Brasil, e linhas mais leves para o clima tropical dos demais estados. Esta flexibilidade de coleção aumenta razoavelmente a linha de atuação da feira, que assim ampliou sua fatia no mercado. "Acreditamos que teremos um crescimento linear para a próxima edição, acompanhando o desempenho deste ano", diz Frederico Pletsch, diretor da Merkator Feiras e Eventos, promotora do evento.
A resposta para esta projeção positiva vem dos estandes dos expositores. Marlin Kohlrausch, diretor da Bibi, comenta que o estande da marca foi muito visitado tanto por compradores brasileiros quanto por importadores, sobretudo da América Latina. "Essa foi uma das melhores Zero Grau, apontando, com um certo otimismo, para a retomada da economia", diz. Já Fernando Motta, diretor da Mariota, também comemora os resultados desta edição da feira. As vendas realizadas durante o evento comprometeram um mês de produção na fábrica da marca. "Os lojistas estão mais otimistas, tanto que as vendas foram maiores em relação ao ano passado", mensura Rafael Caceres, gerente comercial da Democrata, percebeu bons resultados em relação à feira. "Estamos vindo de uma situação crescente. O resultado é muito positivo, e as vendas foram superiores em relação à última edição", analisa ele. Pletsch comemora também a forte presença de importadores na feira, o que aponta para uma nova realidade. A feira recebeu 200 importadores, de 35 países, outro recorde batido neste ano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia