Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

Notícia da edição impressa de 20/11/2017. Alterada em 20/11 às 03h37min

Temer discute Previdência e ministérios com Maia

Michel Temer já fez alterações de cargos para agradar a Rodrigo Maia

Michel Temer já fez alterações de cargos para agradar a Rodrigo Maia


EVARISTO SA / AFP/JC
No segundo dia de articulações para a reforma da Previdência e mudanças no ministério para impulsionar a aprovação da matéria no Congresso Nacional, o presidente Michel Temer se reuniu, ontem, Com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na residência oficial deste. Entre os aliados de Temer que participaram do encontro estiveram o ministro Moreira Franco (Secretaria-Geral) e os deputados Heráclito Fortes (PSB-PI), Pauderney Avelino (DEM-AM), Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), líder do governo na Câmara, e Baleia Rossi (SP), líder do PMDB na casa.
Maia sugeriu votar a reforma da Previdência no plenário da Câmara na primeira semana de dezembro. A sugestão foi feita durante a reunião deste domingo. "O Rodrigo sugeriu votarmos a Previdência na primeira semana de dezembro, provavelmente no dia 6", afirmou Baleia Rossi. Como a reforma está sendo analisada por meio de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), ela precisa passar por duas votações no plenário da Câmara e, para ser aprovada, tem de obter votos favoráveis de pelo menos 308 dos 513 deputados.
De acordo com Rossi, o texto final da reforma será discutido durante jantar de Temer com parlamentares da base aliada na próxima quarta-feira, no Palácio do Alvorada, residência oficial da presidência da República. Antes disso, na terça-feira, Maia deve fazer uma reunião apenas com os líderes de partidos da base aliada para discutir que pontos do texto da reforma deverão permanecer ou não.
O governo quer acelerar as negociações em torno da reforma ministerial, com o objetivo de reorganizar a base aliada e conseguir votos para aprovar a reforma da Previdência, que precisa de 308 deputados favoráveis para seguir adiante. Temer está preocupado com a reação dos partidos da base aliada, que já alertaram não haver condições políticas de se aprovar as mudanças a menos de um ano da eleição de 2018.
Neste sábado, Temer já havia conversado com o presidente da Câmara e dito ao aliado que é preciso insistir na votação da reforma da Previdência. O governo tenta fazer andar as mudanças nas regras para aposentadoria, após o assunto ficar parado na Câmara.
Na manhã de domingo, Temer se reuniu, no Palácio do Alvorada, com os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e da Justiça, Torquato Jardim. As conversas ocorreram separadamente, segundo a assessoria de Temer. O presidente deve ir hoje à solenidade de posse do novo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Fernando Segovia, que entra no lugar de Leandro Daiello. A polícia está subordinada ao Ministério da Justiça. Já Maia discutiu, na noite deste domingo, com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, os ajustes finais da reforma da Previdência.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia