Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Negócios corporativos

Notícia da edição impressa de 20/11/2017. Alterada em 20/11 às 09h12min

Grupo gaúcho monta fábrica de vidros blindados em Cachoeirinha

Proteção de guaritas de edifícios faz parte das utilidades do produto

Proteção de guaritas de edifícios faz parte das utilidades do produto


/MARIANA CARLESSO/JC
Thiago Copetti
Com obras em andamento e investimento de R$ 4,5 milhões, o grupo M31 Participações começará em breve a operar uma indústria de vidros blindados, a King Blindagens, no Rio Grande do Sul. A unidade, que está em fase final de construção e recebimento de equipamentos no distrito industrial de Cachoeirinha, depende apenas de um registro final fornecido pelo Exército para começar a operar.
A produção de blindagem é controlada no Brasil pelo Exército, por questões de segurança, assim como a venda dos produtos. "Acredito que esse último documento que estamos aguardando seja liberado entre o próximo mês e janeiro de 2018, no máximo", conta o presidente da King Blindagens, Raul Dias. O investimento da holding no segmento se justifica pela demanda. Segundo a Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin), o Brasil é o país com o maior número de veículos blindados do mundo, cerca de 200 mil.
De acordo com a Abrablin, até 2014, o setor crescia próximo de 14% ao ano. Com a crise, o crescimento foi reduzido nos dois últimos anos, mas o mercado automotivo segue em alta e deve fechar 2017 com aproximadamente 20 mil veículos blindados no País, ante 18,8 mil em 2016 (crescimento de cerca de 6%). Hoje, segundo a Abrablin, o setor vive uma descentralização da produção, basicamente concentrada na região Sudeste, especialmente São Paulo.
Para iniciar a operação no Rio Grande do Sul, a King contará com cerca de 20 profissionais e precisará treinar parte da mão de obra, já que o segmento exige qualificação específica. "Infelizmente, as deficiências da segurança pública são cada vez maiores, e o segmento acaba se fortalecendo com esse cenário de violência urbana exagerada. É um mercado que, no Brasil, só cresce", analisa Dias, que também é consultor especializado na área de segurança privada.
No caso da King Blindagens, a atuação vai além dos automóveis. A empresa também produzirá blindagem arquitetônica - para a proteção de residências, prédios e guaritas, por exemplo. "As metas para o setor automotivo serão de até 30 veículos/mês. No setor arquitetônico, o equivalente a um prédio de 10 andares/mês", revela Dias. 

Holding também aposta nos segmentos de transporte e energia

App permite solicitar viagens de Porsche e outros carros de luxo

App permite solicitar viagens de Porsche e outros carros de luxo


/RICARDO RIMOLI/DIVULGAÇÃO/JC
A King Blindagens se soma a outros investimento da M31 vinculados ao segmento de transporte. A holding abriga a Super Carros Rent a Car, a Viabilize Engenharia e Gestão no Trânsito de Grandes Cargas, a Fardier Logística Personalizada, a Muksinos Logística Pesada e o aplicativo Vá de Carrão. Lançando recentemente, o Vá de Carrão é um app de transporte individual de luxo. Em vez de ser buscado em seu destino por um carro comum, o cliente desfruta de um passeio com motorista em veículos como Ferrari F-430, Camaro SS, Porsche Cayman, Lamborghini Gallardo e BMW M3. Isso se estiver em Gramado ou Canela, limite de atuação no momento.
Após a consolidação no mercado de segurança, inclusive com exportações, o executivo da King Blindagens antecipa que a empresa deverá avançar em um segmento inovador. O projeto é comercializar um vidro laminado que capta a energia solar. Desse modo, além de servir como acabamento de fachada, terá a mesma função de uma placa solar, com a geração de energia. "Isso será feito em parceria com a Emirates Insolaire (do grupo Emirates), a SolarVentus Renováveis, também da holding M31, e a Becker Energia", explica Dias. 

Saiba mais sobre o setor

Qual é o custo médio para blindar o veículo?
  • Atualmente, o preço médio da blindagem no Brasil de um veículo nível III-A é de R$ 55 mil. O valor depende do nível de blindagem e do modelo do carro. Em carros maiores e mais sofisticados, são usados mais materiais, e a mão de obra também deve ser mais especializada.
Legislação
  • O serviço de blindagem de veículos é controlado pelo Exército, que neste ano atualizou as regras para tentar dificultar o acesso de criminosos ao sistema. Desde agosto, o consumidor (pessoa física ou jurídica) que utiliza veículos blindados deverá ser registrado no Exército, materializado pela emissão do Certificado de Registro (CR) para utilização de veículo blindado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia