Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 17 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

investimentos

Alterada em 17/11 às 15h41min

Ipea: investimentos avançam 0,4% em setembro e fecham trimestre com alta de 1,4%

O indicador do Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) avançou 0,4% em setembro ante agosto, acumulando no terceiro trimestre alta de 1,4%, informou o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) nesta sexta-feira. No ano, porém, os investimentos acumulam queda de 3,6%, puxada principalmente pelo baixo desempenho da construção civil.
A melhora registrada nos investimentos medidos pela FBCF está sendo puxada pelo consumo aparente de máquinas e equipamentos (Came), que evoluiu de uma queda de 0,5% em julho para altas de 1,8% e 3,4% em agosto e setembro, respectivamente. Já o outro componente da FBCF, a construção civil, caiu pelo segundo mês consecutivo, registrando perda de 0,2%, porém menor do que a observada no mês anterior (-1,4%).
Em relação a setembro do ano passado, os investimentos em setembro subiram 0,6%, puxados pelo Came, que registrou alta de 13,1% na mesma comparação. A construção civil, no entanto, registrou no mês passado queda de 3,2% em relação a setembro de 2016.
No terceiro trimestre, os investimentos caíram 0,6% em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto o Came subiu 8,2% e a construção civil registrou queda de 4,1% na mesma comparação. Nos últimos 12 meses, o índice caiu 4,1%.
De acordo com o Ipea, considerando todo o terceiro trimestre, o Came - obtido pela soma da produção doméstica e das importações, excluídas as exportações - foi destaque com crescimento de 3,3% sobre o trimestre anterior.
"Entre os componentes do Came, a produção interna de bens de capital líquida de exportações recuou 2,3% em setembro. Porém, o forte crescimento registrado pela importação de bens de capital (30,5%) ajudou a explicar seu bom resultado", disse o Ipea em nota.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia