Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 06 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Conjuntura

Alterada em 06/11 às 13h55min

Ilan indica que projeção para IPCA em 12 meses subirá e se estabilizará em 2018

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, destacou em evento em Vitória, no Espírito Santo, que as projeções para a inflação sobem gradualmente nos próximos meses e se estabilizam durante o ano de 2018. Na apresentação publicada pela assessoria de imprensa do BC, o presidente nota que a expectativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 12 meses sobe gradualmente para 3,2% no fim de 2017 e avança até se estabilizar no segundo semestre do próximo ano em patamar próximo de 4,3%.
O cenário para o IPCA já havia sido apresentado anteriormente no Relatório Trimestral de Inflação e leva em conta as projeções do mercado coletadas na pesquisa Focus para câmbio e juros no período.
A apresentação de Ilan foi feita no 5º Fórum Liberdade e Democracia organizado pelo Instituto Líderes do Amanhã na capital capixaba na manhã desta segunda-feira.
Na apresentação, Ilan também destaca a trajetória de queda da taxa Selic e o impacto desse movimento no mercado de crédito. A taxa média de juros no crédito livre para pessoas físicas e empresas caiu 10,3 pontos em 12 meses até setembro de 2017, mostra a apresentação do presidente do BC, para 43,3% ao ano.
A queda foi liderada pela redução do custo para as famílias, cujo estoque de empréstimos cresceu 2,4% no mesmo período. O saldo das operações para empresas, ao contrário, diminuiu 6%.
Ilan conclui a palestra com a reafirmação de que a trajetória da atividade é de recuperação com expansão do Produto Interno Bruto (PIB).
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia