Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 06 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Energia

Alterada em 06/11 às 12h42min

Coelho Filho apresenta a Temer novo modelo de privatização da Eletrobras

Temer poderá definir como será encaminhado o processo de desestatização da empresa

Temer poderá definir como será encaminhado o processo de desestatização da empresa


VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL/JC
Agência Brasil
O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, apresentará hoje (6) a proposta da nova modelagem da Eletrobras ao presidente Michel Temer. O assunto será discutido com o presidente, em reunião no Palácio do Planalto, que também terá a participação do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.
A privatização da principal estatal do setor elétrico, com a possibilidade de venda de ações na Bolsa de Valores, foi anunciada pelo governo em agosto deste ano. Segundo o Ministério de Minas e Energia, a medida tem o objetivo de dar mais competitividade e agilidade às operações da empresa. A expectativa é arrecadar R$ 12 bilhões.
Na reunião de hoje, Temer pode definir com os ministros a forma como o processo de desestatização da empresa será encaminhado, se por decreto, medida provisória ou projeto de lei com urgência. Na semana passada, o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Paulo Pedrosa, disse que a análise técnica já foi concluída e cabe aos ministros definir o percentual que cada investidor poderá ter no bloco de controle.
O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, anunciou, mais cedo, em evento com empresários, na Espanha, que os detalhes do processo serão divulgados em breve. Na palestra, o ministro adiantou que o governo deve diminuir sua participação na Eletrobrás para menos de 40% e que a oferta de ações na Bolsa podem começar já no primeiro semestre do ano que vem. As informações foram divulgadas na conta do Twitter do Ministério do Planejamento.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia