Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 02 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 02/11 às 21h48min

Apple tem receita recorde no 4º trimestre fiscal e ação sobe 3% no after hours em Nova Iorque

A Apple apresentou lucro líquido de US$ 10,71 bilhões no período entre julho e setembro, o equivalente a US$ 2,07 por ação, enquanto o ganho registrado no mesmo período do ano passado foi de US$ 9,01 bilhões, ou US$ 1,67 por ação. Com isso, o lucro líquido da companhia registrou avanço de 18,9% na comparação entre os dois trimestres. Os resultados também superaram a previsão de analistas consultados pela FactSet, que previam lucro líquido de US$ 9,7 bilhões no quarto trimestre fiscal, com o ganho por ação em US$ 1,87.
As vendas também registraram avanço, passando de US$ 46,852 no período entre julho e setembro de 2016 para US$ 52,579 bilhões no mesmo período deste ano, resultando na alta de 12,2%, com as vendas internacionais representando 62% da receita do trimestre, um recorde para o período entre julho e setembro. A companhia também superou as previsões nessa categoria, visto que os analistas consultados pela FactSet esperavam vendas de US$ 50,69 bilhões no trimestre.
"Estamos felizes em anunciar um encerramento forte para o excelente ano fiscal de 2017, com receita recorde no quarto trimestre, crescimento ano a ano em todas as nossas categorias de produtos e nosso melhor trimestre para serviços", afirmou o diretor executivo (CEO) da companhia, Tim Cook. Ele também comentou que a Apple espera uma ótima temporada de férias devido à nova linha de produtos da companhia, incluindo o iPhone 8, o 8 Plus, a Apple TV 4K e o Apple Watch Series 3. Em relação às expectativas com o iPhone X, o principal produto lançado para comemorar os dez anos do smartphone, Cook disse que "não poderíamos estar mais entusiasmados quando começamos a entregar nossa visão para o futuro com esse dispositivo deslumbrante".
A demanda por iPhone, que representa cerca de dois terços das vendas totais, juntamente com a recuperação nas vendas dos computadores Mac e dos iPads ajudaram a Apple a entregar o quarto aumento trimestral consecutivo na receita e o terceiro aumento trimestral no lucro. As vendas na China, um mercado crítico para a Apple, aumentaram pela primeira vez desde o início de 2016.
Segundo a companhia, a quantidade de vendas de iPhones no trimestre encerrado em setembro foi de 46,7 milhões de unidades, representando uma alta de 3% em relação ao mesmo período do ano anterior, além de um avanço de 14% na comparação com o trimestre encerrado em junho. Já as vendas de iPads subiram 11% na comparação entre o quarto trimestre fiscal deste ano e o do ano passado, para 10,3 milhões de unidades, enquanto as vendas de Macs subiram 10% na mesma base comparativa, para 5,4 milhões de unidades.
Para o trimestre atual, que termina em dezembro, a Apple espera uma receita que fique entre US$ 84 bilhões e US$ 87 bilhões, muito acima da receita US$ 78,35 bilhões nos últimos três meses de 2016, quando a empresa registrou sua maior receita no primeiro trimestre fiscal, que compreende os meses de outubro, novembro e dezembro. A expectativa revela que as apostas da companhia estão altas em torno das vendas do iPhone X e, com isso, a ação da Apple subia 3,12%, a US$ 173,36, no after hours em Nova Iorque.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia