Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 01 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

aviação

Alterada em 01/11 às 13h09min

Frete aéreo mundial reduz ritmo de crescimento em setembro, diz Iata

A demanda mundial por transporte aéreo de cargas aumentou 9,2% em setembro ante igual período de 2016, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 1º de novembro, pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). De acordo com a entidade, o resultado significou o menor ritmo de alta nos últimos cinco meses, mas se mostrou bem acima da taxa média de crescimento observada nos últimos cinco anos, de 4,4%.
Por sua vez, a capacidade de frete aéreo também registrou expansão ante setembro de 2016, de 3,9%, taxa inferior à da demanda.
Em nota, a Iata destaca que o setor parece ter superado os picos cíclicos de crescimento. Mesmo assim, com o crescimento de 10,1% acumulado pela demanda desde janeiro, a projeção de 7,5% para o dado fechado de 2017 tem forte viés de alta, diz a entidade.
Na América Latina, a demanda por frete aéreo de carga mostrou aumento de 7,6% em setembro, enquanto a capacidade subiu 5,9%, ambas as comparações na base anual.
Em volume, a alta do frete internacional foi de 8,6% no período, bem acima da média de 0,1% nos últimos cinco anos - nos dados dessazonalizados, o indicador retornou, em setembro, aos níveis observados em 2014. De acordo com a Iata, o movimento de retomada reflete os sinais de recuperação no Brasil, maior economia da região.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia