Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 18 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

cinema

17/11/2017 - 12h37min. Alterada em 18/11 às 14h23min

A cabeça de Gumercindo Saraiva encerra filmagens em Porto Alegre

Mariana Catalane com Murilo Rosa em cena no interior do Hospital Psiquiátrico São Pedro

Mariana Catalane com Murilo Rosa em cena no interior do Hospital Psiquiátrico São Pedro


TOMÁS WALPER RUAS/DIVULGAÇÃO/JC
Caroline da Silva
É pelas mãos da jovem camareira da fictícia pensão - ambientada no Memorial do Hospital Psiquiátrico São Pedro - que é conduzido o desfecho do novo filme de Tabajara Ruas, A cabeça de Gumercindo Saraiva. As cenas finais da saga histórica que remete à Revolução Federalista começaram a ser rodadas na tarde de ontem (16) e terminaram na madrugada desta sexta-feira (17).
Depois do último plano com a atriz, o diretor gritou: “Esta foi a última cena da nova estrela Mariana Catalane”. Aos 22 anos, a porto-alegrense tem planos de se mudar para o Rio de Janeiro para seguir na carreira artística. Como intérprete, ela já participou de curtas, do título anterior de Ruas (o longa Os Senhores da Guerra, 2016), de produções do também gaúcho Paulo Nascimento e ainda de O avental rosa, de Jayme Monjardim, rodado na Capital neste ano.
> No vídeo, Mariana Catalane descreve a personagem da camareira no set de filmagem:
No teatro, Mariana já atuou em três peças de Zé Adão Barbosa e, em dezembro, entra em um novo projeto de Guilherme e Thiago Suman (adaptação de Dom Casmurro) a ser encenado em Porto Alegre. Recém-formada em Jornalismo pela UniRitter, no cinema a garota na produção de making of e fotos still das gravações.
Seu próximo desafio será a assistência de direção, presente dado pelo pernambucano Allan Souza Lima – ator de A cabeça de Gumercindo Saraiva – que vai rodar neste fim de semana um curta na Zona Sul da cidade.
O bacana de contar essa oportunidade é que o longa de Tabajara Ruas encerrou suas filmagens, mas é como se sua história ainda não tivesse terminado. Souza Lima convidou grande parte da equipe do filme gaúcho para participar de seu quarto título em curta-metragem na mesma locação que abrigou um acampamento da Revolução no Beco do Retiro, na Restinga, na semana passada.
O ator pernambucano conta que a ideia de produzir essa ficção sobre dois irmãos surgiu em meio ao processo de preparação para A cabeça de Gumercindo Saraiva. “Ainda como homenagem ao ‘Taba’, mantive os nomes dos personagens do longa, Teófilo (o meu) e Aparício (interpretado pelo escritor Alcy Cheuiche)”, destaca. Os protagonistas serão interpretados por Marcos Pitombo e Cléo Ávila – Tenente Rosário e soldado Cleo, respectivamente, no roteiro de Ruas.
O curta autoral de Souza Lima (que neste sábado, dia 18, completa 32 anos) se chamará Restinga e será captado totalmente com um iPhone 7. Já na segunda-feira, o artista migra para Buenos Aires, onde vai realizar um intercâmbio de espanhol e conhecer melhor do mercado de cinema local.
Em 2018, o também cineasta rodará em longa-metragem a versão estendida do seu curta, O que teria acontecido ou não naquela calma e misteriosa tarde de domingo no Jardim Zoológico, exibido no Festival de Gramado no ano passado.
> Confira imagens de bastidores do processo do filme que também deu origem a um curta: 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia