Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 09/11/2017. Alterada em 08/11 às 20h53min

Frases e personagens

"O Brasil está em um dos níveis mais baixos de investimento em infraestrutura da história. Tanto o investimento público quanto o privado caíram. Há muito apetite para as privatizações e concessões, mas só o investimento privado não vai conseguir sozinho puxar a economia toda, retomar o crescimento. Além disso, há poucos projetos maduros, com plano estratégico claro." Venilton Tadini, presidente da Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústria de Base (Abdib).
"Para superar a defasagem da infraestrutura que acumulamos nos últimos 20 anos, o buraco é ainda maior. O Brasil teria que investir aproximadamente R$ 300 bilhões por ano, pelos próximos 10, 15 anos. Pelo ranking de qualidade de infraestrutura da OCDE, nós estamos em 116º lugar, abaixo da África do Sul, do Cazaquistão, do México, da Índia. O Brasil é um verdadeiro plano em construção." Também Venilton Tadini.
"O Tribunal de Contas do Estado (TCE) provou que havia dinheiro para pagar os servidores da educação e da saúde em junho e julho. E cerca de R$ 9 milhões, pagando juros no cheque especial de 6,5% ao mês, em uma folha de R$ 150 milhões, deixam de circular na Capital, com as 24 mil famílias dos municipários." Jonas Reis, diretor-geral do Sindicado dos Municipários.
"Na Câmara Municipal, nos sentimos em casa. Os vereadores apoiam as reivindicações dos servidores. O mantra do prefeito Marchezan é sempre o mesmo, a falta de recursos. Mas a prefeitura pode se endividar, tirar empréstimos." Também Jonas Reis.
"Existe, em Porto Alegre, um grande problema, a gravidez indesejada. Nos bairros mais vulneráveis, a taxa de natalidade é o dobro da média no município. Na Restinga, 30% das gestantes são adolescentes, que evadem da escola para terem seus filhos, isto gera um ciclo de pobreza." Dr. Thiago Duarte (DEM), vereador de Porto Alegre.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia