Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 02 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Dom Jaime Spengler

A voz do Pastor

Notícia da edição impressa de 30/11/2017. Alterada em 30/11 às 18h15min

Advento: espera da alegria!

Dom Adilson Pedro Busin
Entramos no tempo litúrgico do Advento. É preparação do Natal. Sim! Quando alguém é esperado em nossa casa, tudo ganha um clima especial, e preparamos a chegada. Como diz Alceu Valença: "eu já escuto os teus sinais". É preciso preparar o Natal. Palavra que contém essencialmente duas atitudes: da paz e da alegria. Escutar os sinais da chegada do Salvador.
O festejado, Jesus, o Deus feito menino, é esperança de paz! Oh! Como almejamos esta paz! O desejo de possuí-la já é um passo. Mas desejar não é tudo. É preciso tomar atitude, desencadear ações, desenvolver políticas, mobilizar a comunidade do bairro, do município, do Estado e da Nação. A vinda do "príncipe da paz", na voz do profeta Isaías, se deu em dias sombrios. Talvez até piores que os nossos. O profeta preferiu a esperança à lamentação, a alegria em vez de choro. O Messias haveria de vir para consolar e restabelecer a alegria ao povo abatido.
Estive, na última semana, dia 23 de novembro, na inauguração do restauro da capela-mor da Igreja Nossa Senhora das Dores. Autoridades estaduais e municipais, as equipes do trabalho desta obra de arte, os padres, religiosos, orquestra jovem e a comunidade. Uma linda e nobre festa. A igreja das Dores ganhou vida nova. A comunidade também. As luzes voltaram. A arte, que fora carcomida pelo tempo e pelos cupins, agora restaurada readquire seu encanto e seu fascínio. A festa continuou nas escadarias da igreja: luzes, música, até frevo teve! As pessoas conversando, partilhando comes e bebes que trouxeram. Um clima de alegria e de encontro chamava a atenção também dos transeuntes.
Eu também participava dos festejos e da partilha. Olhando para aquilo tudo pensei: nós precisamos reencontrar a alegria de viver na cidade. Sentir alegria por poder estar juntos. O vazio das ruas, o medo de sair, o medo de se encontrar com o outro que se torna um suspeito; essas sombras de nossa convivência não podem abafar a busca da paz. Natal é alimentar este desejo dentro de nós. Desejo e necessidade de encontrar-se. O Papa Francisco fala da cultura do encontro. É anseio profundo de nossa realização humana.
Preparar o nascimento de Jesus é abrir as portas de nossa tenda, casa ou de nosso ser para que o outro entre. Esse outro é o irmão. É o próprio Deus feito menino. O que é Natal senão festa do encontro. O divino se encontra como o humano. Nesse encontro, todas as demais celebrações ganham sentido e complemento. Então na família, no trabalho, na comunidade e na Igreja poderemos dizer: Feliz Natal! Feliz encontro! A alegria é possível. Que ela volte a reinar nos lares, nas ruas e nas praças. O nascimento de Jesus nos permite sonhar. Esperança de algo já presente. Advento, tempo de alegre espera. Escutar os sinais da chegada e do encontro. Paz na terra e glória a Deus nos céus! Esperança, paz e alegria!
Interino - Bispo auxiliar de Porto Alegre
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 02/12/2017 09h25min
SOMENTE UM MILAGRE DE JESUS CRISTO, PARA SALVAR O MEU PAI ADERLI!!!nnSeria maravilhoso se o meu Pai pudesse acreditar que mesmo nestas horas complicadas dentro de um hospital, que Jesus Cristo existe e que está usando ele para fazer até mesmo um novo milagre. Agora neste momento, não sabemos o que passa dentro da sua lúcida mente, seu coração Gremista Tri campeão da LBA 2017, mas Deus sabe. Ontem mostrei para ele a foto da minha Colorada Mãe Marina vestida com a camisa do Grêmio, e ele sorriu muito de felicidade, mesmo sofrendo internamente. Sinceramente não sei como interceder neste assunto tão profundo e delicado, que trata de uma grave enfermidade pulmonar de alto estágio, no caso um câncer corrosivo que foi tratado muito tarde. O hospital já fez todos os testes possíveis para tentar salvar este corpo magro de 35kgs que fumou por 60 anos, mas que esta sem força para suportar no setor de oncologia uma operação pelo fato do seu pulmão não suportar mais tamanha pressão. Fomos avisados ontem que darão antibióticos para ele somente até o dia 4/dez, e se agüentar até lá, darão alta para voltar para sua casa no IAPI, ou ir para casa do Senhor lá no Céu. Sei que este retorno para ficar junto com a minha abençoada mãe Marina que também tem os seus problemas clínicos, será muito complicado para ambos, mas como a equipe médica falou, não tem mais o que ser feito para salvá-lo dentro do Hospital Conceição. Que possamos ser inteligentes para saber conduzir esta situação junto à Mãe, porque a morte do Pai poderá acontecer a qualquer momento, quem sabe tão de repente antes do retorno de viagem dos meus irmãos Ricardo e Carla. Ontem a Dra. solicitou algumas as roupas para que o Pai possa vestir e ver se já consegue caminhar para testar seus músculos, ossos, coordenação motora, e deixar o seu leito do hospital para outro corpo mais necessitado. Eu creio que Jesus Cristo não ficará somente assistindo tudo isto, no último suspiro fará que meu Pai possa se levantar, andar e voltar a sorrir para esta vida, Amém. Oremos. Abs. Dorian Bueno POA, 02.12.2017nnn