Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Prefeitura de Porto Alegre

18/10/2017 - 18h59min. Alterada em 18/10 às 19h20min

Procuradores adjuntos deixam função na PGM de Porto Alegre

Rocha garantiu que a decisão não foi motivada por qualquer divergência com Nelson Marchezan Júnior

Rocha garantiu que a decisão não foi motivada por qualquer divergência com Nelson Marchezan Júnior


ELSON SEMPÉ PEDROSO/CMPA/DIVULGAÇÃO/JC
Paulo Egídio
Os três procuradores-adjuntos da Procuradoria-Geral do Município (PGM) de Porto Alegre solicitaram oficialmente mudança de função no órgão. Na prática, eles deixarão os postos atuais, onde figuram um grau abaixo da Procuradora-Geral Eunice Nequete. 
Servidores de carreira, os procuradores Carlos Eduardo da Silveira, da área de Pessoal, Contratos e Serviços Públicos, Roberto da Silva Rocha, de Domínio Público, Urbanismo e Meio-Ambiente, e Eduardo Gomes Tedesco, de Assuntos Fiscais, devem ser remanejados para outra função dentro da PGM.
Procurado pelo Jornal do Comércio, Rocha disse que a saída do cargo se deve a um “reajuste nas posições” dentro da PGM. “(A mudança) faz parte da normalidade da administração pública. A função é desgastante”, afirmou o procurador. Segundo ele, a decisão não foi motivada por qualquer divergência com o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB).
“Todos temos acesso e boa relação com o prefeito”, garantiu o procurador que está deixando a função. A Procuradoria-Geral do Município não confirmou as mudanças e também não se pronunciou sobre o assunto. 
A PGM é uma das áreas que teve baixa no primeiro escalão do governo Marchezan. O professor de Direito e advogado Bruno Miragem, que assumiu o posto de procurador-geral a função na posse do novo prefeito em 1 de janeiro, deixou o cargo em junho alegando motivos pessoais. Foi o segundo a sair do governo, após Kevin Krieger, que ocupava a pasta de Relações Institucionais e era o braço direito do prefeito. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia