Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 15 de outubro de 2017. Atualizado às 17h36.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

alemanha

Alterada em 15/10 às 18h39min

Partido de Merkel sofre derrota em eleição estadual na Alemanha

O partido Democrata Cristão, da chanceler alemã Angela Merkel, saiu derrotado em uma eleição estadual neste domingo e com sua posição enfraquecida antes das negociações que devem ocorrer esta semana para a formação de uma coalizão. De acordo com estimativas da rede pública ZDF, o partido de Merkel teve 34,3% dos votos no Estado da Baixa Saxônia, no oeste do país, ficando atrás do partido Social Democrata, que obteve 37,1%.
Eleições estaduais têm suas própria dinâmica política e costumam ser decididas por fatores locais. Mas o resultado deste domingo não deve diminuir as preocupações entre os conservadores após a vitória sem brilho nas eleições gerais do mês passado, quando o partido da chanceler teve seu pior desempenho desde 1949.
Uma pesquisa nacional divulgada pelo instituto Emnid neste domingo mostrou que o apoio aos conservadores está em 31%, o menor nível em seis anos. "O motivo é a crise dos migrantes", disse o professor de ciência política Tilman Mayer, da Universidade de Bonn. "Merkel não é mais incontestável", disse.
A chanceler tinha se recusado a iniciar negociações para a formação de uma coalizão nacional antes do fim da eleição na Baixa Saxônia. Agora, ela deve se reunir na próxima quarta-feira em Berlim com membros do partido Democratas Livres e do Partido Verde para as conversações iniciais.
Negociações para a formação de uma coalizão costumam ser demoradas na Alemanha, mas analistas acreditam que o processo pode levar ainda mais tempo este ano, já que os partidos envolvidos têm posições divergentes sobre uma série de questões. Esta seria a primeira aliança de três partidos a governar a Alemanha após a Segunda Guerra Mundial.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia