Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de outubro de 2017. Atualizado às 19h56.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

protestos

Alterada em 16/10 às 20h57min

Em meio a greve, brasileiros em Punta Cana não embarcam em voo da Avianca

Ao menos 17 brasileiros estão em Punta Cana, na República Dominicana, sem conseguir voltar para o Brasil. As viagens de retorno estavam marcadas para o último fim de semana, 14 e 15, mas foram canceladas em cima da hora pela Avianca, empresa aérea que faria os trajetos.
Os passageiros foram realocados em dois voos diferentes, mas reclamam da falta de comunicação da companhia: "A companhia não falou com a gente. Quem falou foi a Decolar.com, com quem compramos as passagens. Só aí os documentos localizadores foram enviados", relata a bancária Fernanda Carolina César, de 36 anos, uma das afetadas pelo cancelamento.
Depois que teve seu voo cancelado neste domingo, Fernanda conta que teve que esperar quatro horas "na frente da porta da gerência da Avianca", no aeroporto, até receber uma resposta da aérea.
Às 19h, horário local, ela foi enviada a um hotel, onde deveria aguardar novas informações. Somente nesta segunda-feira, ao meio-dia, a bancária foi informada de que poderia embarcar em voo desta noite. O trajeto conta com conexão por Bogotá, na Colômbia, mas a passageira relata não ter recebido confirmação se o seu voo para São Paulo está garantido.
A Avianca sofre com diversos cancelamentos de seus voos desde o último dia 20 de setembro, quando 700 dos 1.388 pilotos da companhia, na Colômbia, cruzaram os braços em greve por melhorias salariais e de segurança aérea.
Procuradas, a Avianca e a Decolar.com não se manifestaram até a publicação desta reportagem.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia