Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de outubro de 2017. Atualizado às 21h06.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

Alterada em 16/10 às 22h10min

Santos arranca empate com o Vitória e fica mais longe da briga pelo título

Longe de repetir as boas atuações das últimas rodadas, o Santos precisou de um gol contra para arrancar o empate com o Vitória, por 2 a 2, na noite desta segunda-feira, no Pacaembu. A igualdade, no encerramento da 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, deixou a equipe santista mais longe da briga pelo título.
Com o resultado, o Santos chegou aos 49 pontos está a nove do líder Corinthians, na terceira colocação - o Grêmio retomou a vice-liderança ao bater o Coritiba no domingo e tem a mesma pontuação, porém com mais triunfos.
O Vitória, com 33 pontos, segue lutando para se afastar da zona de rebaixamento. Mesmo sem vencer, fez grande exibição e confirmou a fama de visitante indigesto neste Brasileirão. Tem apenas uma vitória a menos que o Corinthians como visitante no campeonato e segue como a melhor campanha do segundo turno como visitante.
Sem Bruno Henrique, seu artilheiro do time na temporada, o Santos aumentou para 24 jogos a série invicta no Pacaembu. Mas assustou a torcida diante das fragilidades de sua defesa, que havia sofrido apenas um gol nos três jogos anteriores. Só nesta noite foram dois gols, fora uma bola no travessão e ao menos duas grandes defesas de Vanderlei.
Exibindo considerável invencibilidade no Pacaembu, o Santos entrou em campo confiante nesta segunda. E a finalização perigosa de Copete, logo aos 9 minutos de jogo, só aumentou a empolgação da torcida no início da partida. Ainda mais pela eficiência da defesa diante das primeiras investidas do Vitória.
Mas logo o time baiano se estabeleceu em campo, equilibrou as ações e passou a surpreender os mandantes. No ataque, a investida de Copete foi a exceção. Logo o colombiano escancarou a falta de ritmo e passou a minar cada tentativa ofensiva da equipe.
Inoperante no ataque, ele comprometeu a defesa também, aos 22 minutos, quando perdeu a bola no meio-campo e Neilton acionou contra-ataque. Com a rápida trama, o Vitória cercou a área santista até a bola chegar em David, que até driblou Vanderlei antes de bater para as redes.
O gol fez os visitantes crescerem ainda mais em campo. Aos 28, quase ampliaram em forte chute de Uillian Correia, que exigiu bela defesa do goleiro santista. Cada chegada do Vitória desestabilizava a defesa do Santos, que vinha esbanjando solidez nos últimos jogos.
Se não teve sorte na escalação de Copete, Levir Culpi acertou ao apostar em Jean Mota. Foi dele o gol que empatou o duelo e devolveu o Santos ao jogo. Aos 36, Zeca cruzou da esquerda e o meia improvisado no ataque cabeceou para o chão. A bola quicou e encobriu o goleiro Caíque, que substituiu o titular Fernando Miguel de última hora.
Os minutos finais da etapa foram mais parelhos, com duas investidas em sequência do Vitória, com Yago e Ramon. E uma cabeçada perigosa de Ricardo Oliveira, do outro lado do campo.
Mas o time baiano não perdeu ritmo com o intervalo e voltou com tudo para o segundo tempo. Aos 9, Neilton mandou no travessão e assustou a defesa santista. Dez minutos depois, o mesmo Neilton fez a diferença ao levantar na área para cabeçada de Wallace para as redes.
O Vitória dominava o jogo e parecia perto de aumentar a vantagem no placar. Mas uma vacilada na defesa custou o empate. Daniel Guedes cruzou da direita e Ramon cabeceou contra as próprias redes, ao tentar fazer o desvio, aos 23 minutos.
Era tudo o que o Santos precisava para voltar de vez para a partida, que ganhou em aceleração e lances de perigo para ambos os lados. A correria abateu primeiro os mandantes, mais lentos na reta final da partida. E o Vitória impôs pressão até o apito final, que veio como alívio para os jogadores e para a torcida do Santos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia