Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 31 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

telecomunicações

Alterada em 31/10 às 23h47min

Anatel fará acompanhamento da Oi mesmo após eventual aprovação de plano

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) decidiu manter o regime de acompanhamento econômico-financeiro especial do grupo Oi. O Conselho Diretor vai centrar suas análises na viabilidade e robustez da versão final do plano de recuperação judicial da companhia. De acordo com a agência, essa avaliação será mantida "inclusive após sua eventual aprovação na assembleia geral de credores", marcada para 10 de novembro.
"À agência, cabe analisar a viabilidade e a robustez do plano que vier a ser submetido à assembleia de credores e, a partir das conclusões dessa análise, tomar as medidas que julgar necessárias para assegurar a continuidade da prestação dos serviços essenciais ao sistema de telecomunicações", informou a Anatel.
O Conselho Diretor decidiu também dispensar a contratação de uma nova empresa de consultoria para apoiar o trabalho da Anatel no processo sobre a Oi. A decisão foi tomada em razão do estágio da recuperação judicial da companhia.
A reunião do grupo de trabalho do governo que vai elaborar um plano alternativo de recuperação judicial para a companhia foi remarcada para segunda-feira (6). Inicialmente, ela estava marcada para quarta-feira, 1º de novembro. O grupo é liderado pela ministra-chefe da Advocacia-Geral da União (AGU), Grace Mendonça.
Nesta quarta, a ministra deve receber em seu gabinete o empresário Nelson Tanure, ligado ao fundo Société Mondiale, um dos mais influentes no Conselho de Administração da Oi. Ela também vai se reunir com membros da diretoria do fundo de investimentos norte-americano TPG Capital, que também tem interesse na tele.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia