Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mineração

Alterada em 26/10 às 09h00min

Vendas de minério de ferro e pelotas da Vale têm alta de 4% no 3º trimestre

A venda de minério de ferro e pelotas pela Vale no terceiro trimestre deste ano somou 89,929 milhões de toneladas, alta de 4% em relação ao observado no mesmo período do ano passado. Na comparação com o segundo trimestre deste ano as vendas cresceram 10%.
Do total vendido no trimestre, 52,355 milhões de toneladas foram destinadas para a China. O breakeven (equilíbrio de custo e receita) do Ebitda de minério de ferro e pelotas entregue na China foi a US$ 30 a tonelada, ante US$ 28,1 a tonelada no terceiro trimestre do ano passado e de US$ 34,4 a tonelada no segundo trimestre deste ano.
O diretor executivo de Minerais Ferrosos e de carvão da Vale, Peter Poppinga, comenta, no documento que acompanha o demonstrativo financeiro da companhia, que o índice de índice volume de vendas/produção foi de 95% no terceiro trimestre e que no ano que vem este índice deverá ser mantido. "A capacidade de blendagem (mistura) offshore está em ramp-up e estabilizará em 2018", frisa o executivo.
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do segmento de metais básicos da Vale no terceiro trimestre deste ano somou US$ 561 milhões, queda de 6% em relação ao observado no mesmo período do ano passado.
A operação Vale Nova Caledônia (VNC), ativo de níquel para o qual a companhia busca um sócio, registrou uma perda de caixa de US$ 7 milhões, ante um Ebitda negativo de US$ 49 milhões no terceiro trimestre do ano passado.
"Estamos muito satisfeitos com as melhorias consecutivas no desempenho de nossos ativos de cobre e comprometidos a melhorar a geração de caixa de todos os nossos ativos de níquel. No terceiro trimestre, a transição bem-sucedida para operar com um único alto forno em Sudbury e o progresso do ramp-up de Long Harbour estabeleceram as bases para melhorias sequenciais", destaca, no documento que acompanha o demonstrativo financeiro da Vale, a diretora de Metais Básicos da companhia, Jennifer Maki.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia