Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Notícia da edição impressa de 24/10/2017. Alterada em 23/10 às 22h16min

Empresa se reinventa e lança software para escolas de lutas

Versão em inglês do sistema deve estar concluída até 2018, diz Traichel

Versão em inglês do sistema deve estar concluída até 2018, diz Traichel


DANIELA MULLER/DIVULGAÇÃO/JC
Patricia Knebel
Mudança no quadro societário, alteração no nome e novos nichos de mercado na mira. Com 12 anos no mercado, a Zanshin Software (anteriormente 29Sul), de Teutônia, prevê fechar o ano com um crescimento de 8% no faturamento com os novos produtos.
O principal deles é o DoJoWeb, um sistema de gestão voltado exclusivamente para escolas de artes marciais. Compatível com computadores, tablets, smartphones e Smart TVs, o produto permite o acesso rápido aos dados de alunos, turmas, presenças, professores e controle financeiro. Como é modulável, o cliente pode adquirir o produto por partes, conforme sua necessidade e recursos disponíveis.
A expectativa é que a versão em inglês esteja finalizada até 2018, o que permitirá a entrada no mercado norte-americano. "É o nosso grande foco, tanto pelo tamanho do mercado de lutas por lá como pela consciência que eles já têm da importância da gestão nessa área", comenta o diretor-geral da empresa, André Traichel. Ele diz que é comum um atleta se destacar no Brasil e logo abrir uma academia. O sucesso nos negócios, porém, nem sempre acompanha o que eles estavam acostumados a vivenciar no octógono. "Academia é uma empresa, e, como tal, precisa de uma gestão apurada", acrescenta.
No catálogo de produtos da companhia estão ainda o RollClass, o SiGA, o Sole e o Paguei. Todos os softwares de gestão da Zanshin são baseados no modelo de software-como-serviço (Saas), em que o assinante pode acessar de qualquer lugar, a qualquer hora e em qualquer dispositivo conectado.
A empresa tem cerca de 600 contas ativas no Brasil, e a meta é ampliar esse número. "É uma nova fase de um empreendimento bem estabelecido no mercado e, com isso, o conceito de uma empresa em estado de atenção ao mercado e às tendências da tecnologia da informação", afirma Traichel. Zanshin, aliás, é um conceito nas artes marciais orientais, o conhecido estado de alerta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia