Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de outubro de 2017. Atualizado às 11h56.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

09/10/2017 - 11h59min. Alterada em 09/10 às 12h00min

Dólar se fortalece mais ante real com juros dos EUA, lira e minério de ferro

O dólar futuro de novembro subiu até R$ 3,1850 (+0,61%) no fim da manhã desta segunda-feira (9) puxando o dólar à vista para nova máxima aos R$ 3,1746 (+0,55%) no balcão. O operador da corretora H.Commcor, Cleber Alessie Machado Neto, diz que há um pano de fundo de influencia das apostas dos investidores de alta de juros nos Estados Unidos em dezembro, contágio sobre o real do movimento de venda nesta segunda no exterior da lira turca, após Turquia e EUA pararem no domingo de emitir vistos para os cidadãos um do outro, e compasso de espera pela ata do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) na quarta-feira.
"O mercado poderá evitar venda de dólar até ver o conteúdo da ata do Fed", afirma o operador.
Machado Neto vê ainda pressão derivada da queda do minério de ferro no mercado futuro chinês. Ele relatou que, em Cingapura, o contrato SGX AsiaClear mais ativo caiu 4,1%, para US$ 60,47 a tonelada, menor preço intradiário desde 6 de julho. Já na Bolsa de Commodities de Dalian, na China, o contrato caiu 3,9%, anulando um ganho anterior.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia