Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de outubro de 2017. Atualizado às 09h06.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

crédito

Alterada em 09/10 às 09h11min

Percentual de famílias gaúchas endividadas chega a 77,4% em setembro

O cartão de crédito ainda é o principal meio de endividamento dos gaúchos

O cartão de crédito ainda é o principal meio de endividamento dos gaúchos


MARCO QUINTANA/JC
O percentual de famílias gaúchas endividadas atingiu 77,4% em setembro, superando a marca do mesmo mês no ano passado, quando ficou em 62,5%. A alta, que também supera a taxa do mês de agosto deste ano (74,4%), mostra que a inadimplência segue em trajetória de crescimento, de acordo com os dados da Fecomércio-RS, divulgados nesta segunda-feira (9).
De acordo com a pesquisa, o cartão de crédito ainda é o principal meio de endividamento dos gaúchos (84,1%), seguido por carnês (31,3%), financiamento de veículos (19,7%) e crédito pessoal (11,0%).
Na avaliação do presidente da entidade, Luiz Carlos Bohn, parte desse cenário pode ser atribuído ao retorno das famílias ao mercado de crédito, motivadas pela redução dos juros e uma maior confiança na permanência do emprego. Para Bohn, apesar da melhora no mercado de trabalho e na renda, a retomada da atividade econômica ainda levará algum tempo para gerar efeitos positivos.
A pesquisa mostra estabilidade no indicador que avalia a parcela da renda comprometida com dívidas. Em setembro, na média em 12 meses, ficou em 33,1% e o tempo de comprometimento da dívida, também no período de 12 meses, subiu para 8,0 meses.
O índice de gaúchos sem condições de honrar suas dívidas vencidas no prazo de 30 dias saiu de 15,1% em setembro/2016 para 11,9% em setembro/2017. Embora tenha registrado recuo, o indicador continua elevado e assim deve persistir caso não haja uma recuperação mais consistente do mercado de trabalho.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia