Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de outubro de 2017. Atualizado às 08h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 09/10 às 08h03min

Bolsas chinesas sobem na volta de feriado, mas Tóquio e Seul não operaram

As bolsas da China fecharam em alta nesta segunda-feira (9), animadas pela perspectiva de expansão do crédito para o setor corporativo, na volta de um feriado de uma semana. No Japão, Coreia do Sul e Taiwan, porém, não houve negócios em razão de feriados locais.
Uma decisão de Pequim, no fim de setembro, de reduzir compulsórios bancários prevaleceu sobre dados fracos da atividade chinesa. O índice Xangai Composto subiu 0,76% hoje, seu maior ganho desde o fim de agosto, e terminou o pregão a 3.374,38 pontos. O menos abrangente Shenzhen Composto teve valorização ainda mais expressiva, de 1,30%, a 2.014,43 pontos.
Antes do chamado feriado da "Semana Dourada", o banco central chinês (PBoC) anunciou que cortará a taxa compulsória exigida de bancos comerciais em 0,5 ponto a 1 ponto porcentual a partir de 2018. A redução, a primeira desde março de 2016, tem o objetivo de estimular o setor bancário chinês a ampliar a concessão de empréstimos a pequenas empresas.
O gesto do PBoC acabou deixando em segundo plano números decepcionantes de atividade da China. Pesquisa da IHS Markit e da Caixin Media, divulgada no fim da noite de ontem, mostrou que o PMI chinês de serviços caiu de 52,7 em agosto para 50,6 em setembro, atingindo o menor nível em 21 meses. Já o PMI composto, que também engloba indústria, diminuiu de 52,4 para 51,4 no mesmo período, tocando o menor patamar em três meses. Apesar das quedas, as leituras acima da marca de 50 indicam expansão de atividade, ainda que em ritmo mais contido.
Em outras partes da Ásia, o Hang Seng caiu 0,46% em Hong Kong, a 28.326,59 pontos, depois de acumular ganhos na semana passada e atingir no pregão anterior no maior patamar desde abril de 2015, mas o filipino PSEi avançou 0,68% em Manila, a 8.367,38 pontos.
Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul pela segunda sessão consecutiva, sustentada por ações de grandes bancos domésticos. O S&P/ASX 200 subiu 0,50% em Sydney, a 5.739,30 pontos, seu maior nível desde meados de setembro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia