Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de outubro de 2017. Atualizado às 10h05.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 05/10 às 10h10min

Dólar oscila ao redor da estabilidade após 5 quedas

O dólar oscila ao redor da estabilidade ante o real nesta quinta-feira (5) após acumular perdas de 1,86% nas últimas cinco sessões. Os agentes de câmbio devem monitorar o fluxo cambial e financeiro pela manhã, em busca de eventuais sinais de ingressos estrangeiros para o leilão de títulos do Tesouro Nacional, no fim da manhã. Há expectativas ainda pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro e o relatório do mercado de trabalho dos Estados Unidos, que serão divulgados na sexta-feira (6).
Pouco antes do fechamento deste texto, a moeda norte-americana voltou a oscilar com sinais mistos, depois de ter se alinhado em baixa pontualmente. A abertura também foi com sinais mistos - em leve alta no mercado à vista e em queda no contrato futuro de novembro -, refletindo ajustes na taxa de câmbio em relação ao fechamento anterior.
Na quarta, o dólar à vista fechou em baixa de 0,44%, aos R$ 3,1328, enquanto o dólar para novembro recuou menos, 0,27%, para R$ 3,1470. Por volta das 9h44min, o dólar à vista subia 0,11%, aos R$ 3,1359, ante mínima, aos R$ 3,1309 (-0,06%). O dólar para novembro, no entanto, se sustentava em leve baixa, de 0,02%, aos R$ 3,1465.
No exterior, a moeda norte-americana oscilava pela manhã com viés de alta ante o euro e a libra e as principais divisas emergentes, como dólar australiano, peso mexicano e rand sul africano. Nos EUA, foram divulgados dois indicadores que não mexeram com os ativos financeiros.
Os pedidos de auxílio-desemprego caíram 12 mil na semana, a 260 mil, ante previsão de 270 mil. Já o déficit comercial recuou a US$ 42,395 bilhões, ante previsão de -US$ 42,7 bilhões.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia