Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de outubro de 2017. Atualizado às 08h11.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 05/10 às 08h11min

Sem tendência única na Europa, Bolsa de Madri ensaia recuperação

As bolsas europeias operam sem tendência única nas primeiras horas de quinta-feira (5), com destaque para a de Madri, que começou o pregão em tom negativo antes de ensaiar uma recuperação das fortes perdas recentes ligadas ao processo para separar a Catalunha da Espanha. Em dia sem indicadores relevantes na Europa, investidores aguardam a ata da última reunião de política monetária do Banco Central Europeu (BCE).
Apenas ontem, o índice espanhol Ibex-35 caiu quase 3%, em reação a uma promessa do governo da Catalunha de declarar a secessão do território na próxima segunda-feira (09), após um controverso plebiscito sobre a independência da região - realizado no último domingo - conquistar mais de 90% de apoio.
A S&P colocou os ratings B+/B da Catalunha em observação para possível rebaixamento, com o argumento de que a escalada de conflitos políticos com Madri poderá comprometer a capacidade dos catalães de pagar o serviço de sua dívida.
Na manhã de hoje, às 8h30min (de Brasília), o foco se voltará para a ata do BCE referente à reunião de 7 de setembro. Na ocasião, o presidente do BCE, Mario Draghi, voltou a sinalizar que a instituição decidirá sobre a retirada do atual programa de relaxamento quantitativo (QE, pela sigla em inglês) - que prevê compras mensais de bilhões de euros em ativos - em seu próximo encontro, no dia 26. O QE teve início em março de 2015 e poderá chegar a cerca de 2,3 trilhões de euros (US$ 2,7 trilhões).
Já nos EUA, estão previstos nesta quinta discursos de quatro dirigentes do Federal Reserve (Fed), incluindo do diretor Jerome Powell, um dos cotados para substituir Janet Yellen na presidência do banco central americano.
Às 6h07min (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,14%, favorecida por mineradoras, cujas ações avançavam em linha com os preços de metais básicos, enquanto a de Paris recuava 0,07% e a de Frankfurt caía 0,22%. Em Madri, o Ibex-35 tinha alta de 0,42%, e em Lisboa, o português PSI-20 mostrava valorização de 0,38%. Em Milão, por outro lado, o FTSE-Mib tinha baixa de 0,10%.
No mercado cambial, o euro se fortalecia levemente no mesmo horário, a US$ 1,1771, mas a libra seguia direção contrária, cotada a US$ 1,3192.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia