Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 02 de outubro de 2017. Atualizado às 19h20.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

02/10/2017 - 19h23min. Alterada em 02/10 às 19h24min

Dólar sobe após dados dos EUA e euro cai após plebiscito na Catalunha

O dólar avançou ante outras moedas principais, impulsionado por dados acima do esperado da economia americana, enquanto o euro foi atingido pela incerteza política na Espanha, após o plebiscito de independência da Catalunha.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar subia para 112,72 ienes e o euro caía para US$ 1,1738.
A economia dos Estados Unidos voltou a mostrar força nesta segunda-feira, 2: a IHS Markit divulgou que o índice de gerentes de compras (PMI) do setor industrial subiu de 52,8 em agosto para 53,1 em setembro. Já o Instituto para Gestão de Oferta (ISM) mostrou avanço de 58,8 em agosto para 60,8 em setembro, no nível mais alto desde maio de 2004. Com esses indicadores melhores que o esperado, o dólar operou em alta ante outras divisas fortes.
Nas últimas semanas, os investidores ficaram mais otimistas de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) irá elevar as taxas de juros novamente este ano. O progresso na reforma tributária dos EUA também ajudou a reativar o otimismo sobre o caminho da economia americana. De acordo com os futuros dos Fed funds, compilados pelo CME Group, a chance de um aperto monetário em dezembro está em 72,8%.
Enquanto isso, o euro foi atingido por uma nova incerteza política depois que líderes catalães disseram que os eleitores da região apoiaram de forma "esmagadora" a independência em um plebiscito realizado no último domingo. A votação, que o governo de Madri chamou de inconstitucional, levou a atos violentos no fim de semana e deixou a Espanha à beira de uma crise política e institucional. "A Espanha enfrenta uma estrada desafiadora, já que deve navegar em um futuro político mais incerto", disseram analistas da TD Securities, em nota a clientes.
A libra por sua vez, foi fortemente pressionada nesta segunda-feira, com os investidores digerindo informações relativas à conferência do Partido Conservador no Reino Unido, cujo início se deu no domingo. O evento pode deixar à mostra a posição delicada da primeira-ministra britânica, Theresa May, para lidar com a saída do país da União Europeia (Brexit) diante de uma equipe de governo dividida em torno da questão. No fim da tarde, a libra caía a US$ 1,3277.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia